[RESENHAS] A Corte do Ar - Stephen Hunt - Saída de Emergência



Autor: Stephen Hunt

Páginas: 544

Ano: 2013

Tradutor: Alberto Simões

Editora: Saída de Emergência

Sinopse 

Nesse aventura repleta de drama e ação, Molly carrega em seu sangue um segredo que a torna alvo de inimigos do Estado. Já Oliver é acusado de assassinato e precisa fugir para salvar sua vida. Logo, os dois se juntam para lutar contra um antigo poder que parecia derrotado havia milênios.


A corte do ar é o segundo livro publicado pela Saída de Emergência Brasil e o primeiro volume da série steampunk de Stephen Hunt, um subgênero da ficção científica que tem suas histórias ambientadas principalmente na Era Vitoriana, onde a tecnologia é avançada e movida a vapor.

“A mente é a coisa mais difícil de aprimorar e a mais fácil de desperdiçar.”

A corte no ar vai nos apresentar a três personagens que considero como principais. O primeiro deles é Molly Templar, uma órfã que mora em um orfanato e tem sua vida revirada após descobrir que quase todos do orfanato morreram quando pessoas desconhecidas estavam a sua procura.  Ao longo da história ela vai descobrir que o seu sangue é especial, e esse é o motivo para que pessoas poderosas a queiram morta. 

Nosso segundo grande personagem é Oliver Brooks, jovem comum, criado pelo tio, suspeito de ser um Encantado, tem também a sua vida revirada quando é acusado da morte do tio, o que o obrigada a fugir tendo por companhia apenas um amigo do tio que resolve ajuda-lo.

Na minha opinião, o terceiro grande personagem da história é o Príncipe Alpheus, filho do Rei Julius e futuro herdeiro do trono. Jovem de ideias rebeldes e nada convencionais, não aceita as imposições que o reinado lhe trará e fará de tudo para mudar a sua história, até cometer um assassinato.

“Não posso falar do lugar onde nasci, Molly. Além disso, essa questão é totalmente irrelevante em relação ao lugar aonde uma pessoa pretende chegar.”

Apenas esse trio já renderia uma mega história, mas aliado a isso temos um mundo fantástico, criado por Hunt, que nos transposta através do tempo e do espaço. Misturando antigas e novas tecnologias em um mundo absolutamente surreal, ele também cria uma gama de novas raças, assim como fez Tolkien. Vamos conhecer os homens-vapor, a Marinha Real Aerostática, os cantores do mundo (feiticeiros com estilo vitoriano), caranguenarbianos, a Guarda Real, o Sussurrador, lupocaptores, professores universitários, aventureiros e intelectuais, sem mencionar a própria Corte do Ar, que vigia a todos e interfere quando necessário. 

Nesse mundo com cidades como Chacália, Aço-Médio, Mecância e Tristesperança, as pessoas viajam de aeróstato, uma mistura de avião e balão moderno e esquecem os seus problemas bebendo jin ou fumando ervassussurrante e folha. A ação fica por conta das lutas que mesclam armas antigas e criações futuristas ao lado de batalhas épicas.

“- Mas e o amor? – perguntou Molly.
< de aeróstato, uma mistura de avião e balão moderno e esquecem os seus problemas bebendo jin ou fumando ervassussurrante e folha. A ação fica por conta das lutas que mesclam armas antigas e criações futuristas ao lado de batalhas épicas.

“- Mas e o amor? – perguntou Molly.

- Essa é a maior mentira de todas – retorquiu Fairborn. – Um comichão biológico que a avisa que chegou a hora de começar a fazer pequeninas cópias de você. Além de enfraquecer o seu corpo, devasta a sua beleza. (...) O amor é como a gripe de inverno: desaparece gradualmente depois da estação.”

O livro também discute temas polêmicos como o trabalho infantil, a utilização de meninas nos grandes bordéis de Chacália, um muro que separa cidades vizinhas, política, comunismo, anarquismo, república, a queda de uma monarquia, respeito às autoridades e religião. 


As histórias dos personagens principais irão se cruzar e é quando eles perceberão que juntos deverão salvar o mundo de um poder inusitado. 

Um dos inúmeros pontos fortes da narrativa é a capacidade de descrição detalhada do autor. Ainda bem, já que imaginar tanta coisa nova não seria fácil sem os minuciosos detalhes acrescentados a cada paisagem ou novo objeto que surge. 

Extremamente original, diferente de tudo o que eu já li. Magia, simbologia, ficção científica e realidade se alternam nessa obra prima da literatura.

A Corte do Ar tem em sequência de outros cinco livros de uma série chamada Jackelian. Os livros são:

   -  A Corte do Ar;

   -  The Rise of the Iron Moon (lançamento previsto para 2014 no Brasil, pela Saída de Emergência)

   -  The Kingdom Beyond the Waves

   -  Secrets of the Fire Sea 

   - Jack Cloudie 

   - From the Deep of the Dark




17 comentários:

  1. Eu estou querendo ler esse livro desde que a Ver falou nele,a capa é linda,me apaixonei pelo gênero steampunk e agora que li a sua resenha fiquei bem ansiosa para começar a ler.

    adorei a resenha

    bjsss

    Bianca

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a Drica manda muito bem nas resenhas mesmo. Também fiquei com vontade de ler. Obrigado pelo comentário. Bjus

      Excluir
    2. Obrigada, Bia. O livro é que é show, então falar dele é um prazer!

      Excluir
  2. Oi, Lia eu estou lendo este livro, meio lentamente ,mas estou gostado muiito, não sei se pelo gênero ou pela história. Gostei muito da resenha da Driva, tiradas interessantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ver, lendo a resenha dela, também fiquei interessada na leitura.

      Excluir
  3. Obrigada com essa resenha já escolhi o presente de niver do meu Noivo lindo e amado!!
    AMEI A resenha!!!
    Beijos
    http://ladyweiss.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Susana, fico feliz de ter ajudado na escolha do seu presente! kkkk

      Excluir
  4. Entre esse e Leviatã qual será o melhor? Adoro steampunk e gostei muito de Leviatã. E devido essa variedades de personagens fiquei interessada pelo A Corte do Ar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty, obrigado por sua visita. Eu não sei opinar, pois ainda não li nenhum dos dois.

      Excluir
  5. Oi Adriana, Parabéns pela resenha!! Tb me deu vontade de ler só de ler a resenha hehe
    Já vi o livro na livraria, é lindo!! Mais não o leria no momento, talvez eu compre!!

    Beijos, tem resenha nova no Daily ^^
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/2014/01/resenha-as-criancas-trocadas.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, eu também me interessei pelo livro, depois que li a resenha da Drica. Obrigado por seu comentário. Bjus

      Excluir
  6. Terminei ele hoje. Por mais que o início seja bom, o livro vai ficando cada vez mais mal escrito e desapegado aos detalhes com o passar das páginas, os personagens se descaracterizam de uma maneira desnecessária perto do fim. E as duas tramas que conduzem o livro e demoram milhares de páginas pra engatar, não chegam a realmente se entrelaçar de um modo satisfatório.

    Sobre a capacidade de descrição do autor, eu sinceramente discordo, me vi perdido em inúmeros momentos da trama, justamente pelo fato de ele não descrever o que ele estava falando. Até agora me pergunto o que ele quis dizer com a tal cena em que ele descreve uma certa "criatura" da qual não temos nenhuma informação sobre a forma, origem, procedência, o que é ou com o que se parece, desperta no chamado Salão Verde.

    Achei o livro um tanto mal escrito e confuso. Gostei dos personagens, mas terminei o livro com uma sensação de que partimos do nada pra lugar nenhum. Porque apesar de toda a ação, nada realmente aconteceu no lado emocional pra ninguém e o desfecho me pareceu irrelevante para a maioria deles.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ramon, que pena que você não gostou...
      Mas, é sempre bom poder ouvir a opinião dos leitores sobre os livros que resenhamos aqui. Eu ainda não li A Corte no Ar, por isso, não posso opinar, mas assim que possível, estarei conferindo e poderei avaliar melhor a história.
      Gostei muito de receber sua visita e do seu comentário.
      Apareça mais vezes.
      Beijos

      Excluir
  7. Respostas
    1. Oi Thalita, obrigado por sua visita.
      Beijos

      Excluir
  8. Parece ser uma história fantástica! Gostaria de ler esse livro *--*

    Gostei da resenha *--*

    Beijos invernode1996.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Monique, a sensação que tive lendo a resenha da Drica, foi a mesma que a sua. Me pareceu uma história fantástica.
      Bjus

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!