[RESENHAS] Como eu era Antes de Você - Jojo Moyes - Intrínseca


Bom dia meus doces leitores!
Uma feliz quarta-feira pra todos vocês!
Hoje temos uma nova resenhista aqui no Blog. E gostaria de dizer que é uma alegria para mim, a cada nova colaboradora, a cada nova leitora que resolve, se juntar a equipe.
Aline Sales, seja bem vinda ao Doces Letras!
E espero que todos a recebam com muito carinho!

Como eu era antes de você (Me Before You) 

Ficha Técnica:
Jojo Moyes
ISBN: 9788580573299
Ano de lançamento: 2012
Ano de lançamento no Brasil: 2013
Tradutor: Beatriz HortaT
Páginas: 320
Editora: Intrínseca

Sinopse:
Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.
LEIA UM TRECHO.
SITE / INTRÍNSECA / SKOOB / GOODREADS

Sobre a autora:


Jojo Moyes nasceu em 1969 e cresceu em Londres. Estudou Jornalismo e foi correspondente do jornal The Independent até 2002, quando publicou o seu primeiro romance, Retrato de Família, e resolveu dedicar-se à escrita a tempo inteiro. Foi uma das poucas autoras a ganhar por duas vezes o prémio Romantic Novel of the Year, primeiro com Foreign Fruit (2003) e com A Última Carta de Amor (2010). Do catálogo da Porto Editora constam já os romances Silver Bay - A Baía do Desejo, Um Violino na Noite, Retrato de Família, A última carta de amor e Viver depois de ti.
SITE / FACEBOOK / TWITTER


RESENHA POR ALINE SALES

Quando eu decidi ler esse livro, eu pensei que seria um tanto quanto chato. Mas, me enganei totalmente, apaixonei-me pelos personagens, e praticamente devorei o livro. Em dois dias já tinha terminado a leitura, e estava de ressaca literária! Simplesmente, apaixonei-me pela estória dos personagens Louisa Clarck e Will Traynor. Fiquei admirada com a genialidade da autora, Jojo Moyes, ao juntar duas pessoas totalmente opostas, e produzir uma combinação tão perfeita. Um amor despretensioso e surpreendente.

Will, um homem de espírito aventureiro, pratica esportes radicais e gosta de aproveitar a vida da melhor maneira possível, até que, infelizmente, em uma noite fatídica, ele sofre um acidente, e fica tetraplégico.  Após o acidente ele se vê impossibilitado de fazer tudo que gosta por estar preso a uma cadeira de rodas ele torna-se uma pessoa mal humorada, fechada no seu próprio mundo triste e amargo.
Lou, uma mulher sem expectativas, em um relacionamento fadado ao fracasso (o cara é um chato, não é implicância, é que ele é chato mesmo!). Vive com a família em uma casa simples, tem uma vida muito monótona, não tem hobbies, gosta de ler e não tem perspectiva de um futuro melhor. Desempregada, e por necessidade de ajudar sua família, ela procura uma agência de emprego onde acabou conseguindo uma vaga como cuidadora de um tetraplégico por seis meses.

O primeiro contato entre eles não é nada agradável, aliás, Will simplesmente ignora Lou por certo tempo, mas, nem ela nem Will sabem que suas vidas estão prestes a mudar.  Quando ela tenta se aproximar dele, ele sempre a afasta. Até que um acontecimento muda tudo, e Lou trata Will da mesma maneira que ele a trata com ironia e sarcasmo, a partir desse momento, acredito eu, tudo muda.
Will dizia que eu tinha feito algo errado e eu perguntava se aquilo era da conta dele, então ele falava de maneira educada. Ele me xingava, ou dizia que eu era um pé no saco, e eu respondia que ele poderia tentar ficar sem aquele pé no saco específico. Era meio exagerado, mas parecia funcionar para ambos os lados. Às vezes, parecia até um alívio para ele que houvesse alguém preparado para tratá-lo mal, contradizê-lo ou alertá-lo para o fato de que estava sendo desagradável.

Desde que sofreu o acidente Will sempre era tratado como se fosse uma bola de cristal, tudo que ele queria era feito, e todos sempre tinham muito cuidado em fazer tudo do jeito dele, mas Lou mudou isso, tratando-o, não como uma profissional, e sim como uma pessoa comum.  Com a convivência eles começam a cultivar uma amizade, cada um respeitando o limite do outro, e por muitas vezes, Lou tendo que ignorar as constantes mudanças de humor de Will.  A sensibilidade e a realidade que  Jojo tratou sobre a vida de quem possui necessidades especiais,  a sua riqueza em detalhes sobre o tema que retrata as dificuldade de lugares adaptados, e o sofrimento e limitações dessas pessoas que deixam de frequentar alguns locais por falta de estrutura, nos faz refletir sobre este completo absurdo!
Quem diria que a Lou com seu jeito maluco, sua boca esperta, e sua falta de juízo fosse mudar o coração do homem amargurado que Will se tornou com o passar do tempo.  Compartilho aqui alguns trechos que relata muito bem a sua amargura:

    “Ninguém quer ouvir você falar que está com medo, ou com dor, ou apavorado com a possibilidade de morrer por causa de alguma infecção aleatória e estupida. Ninguém quer ouvir sobre como é saber que você nunca mais fará sexo, nunca mais comerá algo que você mesmo preparou, nunca vai segurar seu próprio filho nos braços. Ninguém quer saber que ás vezes me sinto claustrofóbico estando nesta cadeira que tenho vontade de gritar feito louco só de pensar em passar mais um dia assim. “

“Seus olhos cinzentos tinham marcas de cansaço, ou do desconforto que ele sentia quase o tempo todo (Nathan me disse que ele raramente se sentia bem). Eles levavam o olhar vazio de alguém que está sempre alguns passos afastado do mundo a seu redor. Às vezes, eu me perguntava se aquilo não era um mecanismo de defesa de Will, já que a única maneira que encontrou de lidar com sua vida foi fingir que não era com ele que aquelas coisas estavam acontecendo.”

“Quando o pegava olhando para fora através da janela, pensava que ele era a pessoa mais triste que eu já conhecera. E, à medida que os dias se passavam e eu notava que sua condição não tinha relação somente com o fato de estar preso naquela cadeira ou com a perda de sua liberdade física, mas por uma série infinita de problemas de saúde, riscos e desconfortos, concluí que, se eu fosse Will, provavelmente também me sentiria infeliz.”

Vale ressaltar que a ironia do Will rende-nos algumas cenas muito engraçadas. Ele é irônico ao extremo e eu adoro isso nele, Lou por sua vez não deixa passar batido e algumas vezes, lhe dá uma resposta à altura. Outras vezes, sem nem lhe dar a chance de retrucar.
— Não. Olhe Will, desculpe. Eu… não estava raciocinando.
— Como se isso alguma vez acontecesse.
— Tudo bem, tudo bem. Vou tirar as benditas cenouras, se incomodam tanto a você.
— Não são as benditas cenouras que me incomodam, mas sim tê-las escondidas em minha comida por uma mulher maluca que chama os talheres de Sr. e Sra. Garfo.

Uma das razões para que eu tivesse me apaixonado por esse livro é a sensibilidade como a Jojo construiu o amor de Will e Lou. É um amor puro e sincero, em um mundo no qual as pessoas muitas vezes precisam de mais para se relacionar, o sentimento bastou para os dois, um olhar, uma palavra, um sorriso, a cumplicidade que eles alcançaram é algo invejável, pude sentir cada sensação que é descrita ao ler o livro, porque, a essa altura eu já estava apaixonada pela estória.
“Gostava da espécie de taquigrafia em que mergulhávamos quando ninguém estava por perto, da intimidade fácil que surgiu entre nós. Gostava do jeito como ele virava o rosto e me olhava com deleite, como se, de algum modo, eu tivesse me tornado muito mais do que ele esperava. Pensei, por um instante, que nunca mais me sentiria tão intensamente conectada ao mundo, a outro ser humano, como naquele momento.”

Pude acompanhar o amadurecimento da Lou através do amor incondicional, e o Will (pelo qual sou perdidamente apaixonada), mostrou-me que devemos viver intensamente o que nos é permitido, mesmo que ainda as pessoas não te apoiem, tenha firmeza sobre o que você quer e não abra mão das suas escolhas.
E bem nessa declaração a leitora se desmanchou em lágrimas, pois já não se tratava da personagem, e sim dela mesma:

“Sei que essa não é uma história de amor como outra qualquer. Sei que há motivos para eu nem dizer isso. Mas eu amo você. De verdade.”

“Só sei dizer que você me transformou... numa pessoa que eu nem imaginava. Você me faz feliz, mesmo quando é horroroso. Prefiro estar com esse você que você deprecia do que com qualquer outra pessoa no mundo”

Chorei horrores, pois não queria me despedir de modo algum, e cada trecho que compartilhei aqui me deu um aperto no peito, e a vontade de reler o livro outra vez.
Minha opinião final sobre o livro é que ele simplesmente emocionante. O amor que eles vivem me fez refletir sobre algumas atitudes em minha vida, como por exemplo: O que Eu quero para o futuro? Será que de uma maneira ou de outra não existe uma Louisa dentro de mim? E porque me preocupo tanto em agradar as outras pessoas?  A grande lição que tirei dessa leitura linda e emocionante foi, ouse mais, viva mais, e apoie sempre as pessoas que você ama, independentemente de aceitar suas decisões! Compartilho aqui um dos trechos que mais me emocionou:
“Você está marcada em meu coração, Clark. Desde o dia em que chegou, com suas roupas ridículas, suas piadas ruis e sua total incapacidade de disfarçar o que sente. Você mudou a minha vida” [...]


COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ VAI VIRAR FILME

Isso mesmo gente, a editora Intrínseca anunciou que a adaptação já tem roteiristas certos e serão os mesmos de A culpa é das estrelas. A dupla Scott Neustadter e Michael H. Weber é conhecida por diversos trabalhos, entre eles (500) Dias com Ela (2009) e o esperado A culpa é das estrelas, baseado no livro homônimo publicado pela Intrínseca, com estreia prevista para o dia 06 de junho de 2014 nos cinemas americanos.

Mais do que uma história de amor, Como eu era antes de você traz uma mensagem positiva de coragem e esperança, que incentiva a seguir em frente mesmo diante das dificuldades.

Eu já estou ansiosa para ver essa adaptação, sou apaixonada pelo livro e apesar de saber que vai demorar um pouquinho, já que o elenco ainda não foi escolhido, a  ansiedade é a mesma, enquanto lia o livro sempre imaginava o Will como o  Bradley Cooper e a Lou como Anne Hathaway, mas quaisquer que sejam escolhidos, eu sei que eles irão arrasar. Enfim só nos resta esperar e depois preparar a caixinha de lenço e ir assistir.




13 comentários:

  1. Lia querida, é uma honra inestimável contribuir com a minha pequena e amadora resenha aqui no doces letras, você é de uma bondade admirável!! Beijos sua linda adoro você :* :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline sua linda! Eu que agradeço a confiança no Doces Letras, para publicar seu texto. Adorei sua resenha, e espero poder contar com elas, por muito tempo.
      Bjus

      Excluir
  2. Liaa
    já tinha vontade de ler esse livro, e agora estou loucaa!!
    preciso comprá-lo! Ameii a resenha!
    parabénss!
    bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Nati, obrigado flor!
      Mas, o mérito é da querida Aline Sales. A resenha dela ficou mega gostosa!
      bjus

      Excluir
  3. Nunca li nada da autora, mas já li resenhas super positivas sobre. Ainda bem que gostou do livro e que foi melhor do que vc esperava.

    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pah, eu também não li nenhum livro desta autora, mas depois de ler esta super resenha da Aline, fiquei com muita vontade de conferir.
      Bjus

      Excluir
  4. Já ouvi falar desse livro, parece ser emocionante mesmo. Fiquei com muita vontade de lê-lo e de chorar horrores por causa da história hsuhsuhsu

    Beijos invernode1996.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também ouvi falar muito sobre ele, mas ainda não li.
      Depois dessa resenha já está na minha lista de desejados.
      Bjus

      Excluir
  5. Comprei o livro na semana passada. Estou até mais empolgada para ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim Elysanna e depois passe por aqui pra contar o que achou flor. Bjus

      Excluir
  6. Oi, Aline estou com três livros da Jojo moyes, mas ainda não li e esse é o primeiro da lista e pensei que seria tudo isso que falou assim que possível lerei.

    ResponderExcluir
  7. Ai gente que gostosos os comentários rsrsrs, Até me deu vontade de resenhar mais *---*
    Bjos suas lindas ♥

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!