[Luz, Câmera, Livros!] - Divergente

Oi pessoal!

Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre a obra distópica de Veronica Roth: Divergente.






Ficha Técnica - Livro

Título: Divergent / Divergente

Autor(a): Veronica Roth

Editora: Rocco - Jovens Leitores

Lançamento: 2011 (EUA) / 2012 (Brasil)

Gênero: Romance / Drama / Ação






Ficha Técnica - Filme

Título: Divergent / Divergente

Diretor: Neil Burger

Lançamento: 2014

Gênero: Romance / Drama / Ação

Elenco: Shailene Woodley, Theo James, Zoë Kravitz, Ansel Elgort, Maggie Q, Jai Courtney, Ashley Judd, Miles Teller, Kate Winslet.






Sinopse: Pra quem não conhece a história, se trata de um futuro distópico, onde a sociedade onde os protagonistas vivem é dividida em cinco facções de acordo com a principal virtude daquela parcela da população. As facções são: abnegação, audácia, amizade, franqueza e erudição. Cada casta é ligeiramente dependente da existência da outra, sendo a união delas que faz com que a cidade de Chicago consiga se sustentar.


Então, somos apresentados a Beatrice, que terá que passar pela cerimônia de iniciação, onde todos os jovens tem de escolher sua nova facção, se separando do convívio familiar e experimentar um novo modo de vida.


Porém, como Beatrice é a nossa heroína, ela claro que tem de ter algo diferente. E ela tem. A divergência é um tabu dentro da sociedade das facções, onde uma pessoa tem mais de uma virtude pronunciada em si mesmo, o que faz com que ela não se encaixe em nenhuma das facções. Mesmo assim, contrariando o pensamento de sua família, ela escolhe a audácia como sua facção.


Minha opinião: Normalmente temos a mania de comparar toda nova série dita “adolescente” com Harry Potter e todo o seu sucesso. Ultimamente, assistindo novos filmes adaptados de livros voltados para o público jovem, percebo que essa comparação não pode existir. Divergente foi uma das histórias que começaram a me ajudar a me livrar do tal preconceito que eu tinha, junto com Jogos Vorazes.


Divergente é um livro diferente. Não há panos quentes no sofrimento de Tris. E quando falo sofrimento não é o lado menininha chorando pelos cantos, mas sim da ação e violência que Tris tem que aprender a lidar no seu novo cotidiano. Afinal, a audácia não tem espaço para membros fracos e Tris tem que aprender a ser forte fisicamente, coisa que nunca aprendeu a ser na abnegação.


O livro é maravilhoso! A história prende e vai crescendo nesse primeiro volume da trilogia. As dificuldades, as intrigas, tudo sempre acaba entrando no caminho de Tris, que primeiro queria um pouco mais de emoção na sua vida e acabou percebendo que nunca mais encontraria a calmaria.


E por ser uma boa adaptação, toda essa pressão que é imposta a Tris é sentida no filme. As cenas de ação são ótimas. Impossível não ficar tenso com as lutas do treinamento para o teste físico e ainda mais com o treinamento mental, onde Quatro testa Tris de todas as maneiras para que consiga esconder que é divergente.


As adaptações feitas pelo diretor são muito pertinentes e ajudam a fluidez e o ritmo do filme, como a intriga de quem realmente pegou a bandeira na “gincana” da audácia, dentre outras aparições e algumas ambientações.


Finalmente falando dos personagens mais individualmente, Shailene é uma ótima (a)Tris. Ela encontrou o tom certo da personagem e sua química com Theo foi interessante.


E já que estamos falando de Theo, achei seu Quatro muito reservado. Essa é uma característica dele muito marcante, mas teve alguns momentos que me irritou. Quando ele finalmente vai se soltando com a Tris o personagem ganha muito mais, a partir do momento onde conhecemos suas fraquezas e podemos observar o Tobias.


Gostei da Cristina, mas não consegui associar ela à imagem que eu criei depois que eu li o livro. A Cristina tem uma parte meio chata no segundo livro, que espero que seja bem explorada na sequência, Insurgente.


Kate Winslet está muito interessante como Jeanine. E deslumbrante, o que fugiu um pouco da descrição do livro. Mas claramente todos do livro, mesmo com aparência feia, acabaram se tornando lindos no filme. É a magia do cinema.



Gostei das interpretações dos pais da Tris, onde a mãe dela, interpretada pela Ashley Judd, foi a mais surpreendente. A Natalie em si já é muito interessante, por ser a pessoa que mais muda durante a trilogia. Estou muito interessada em como sua história será desenvolvida nos próximos filmes.


Falando do próximo filme, saiu o trailer de Insurgente (clique aqui para assistir), que está eletrizante e promete uma ótima continuação para a trilogia. Me assustou o novo corte da Tris, pois no livro pensei que seu cabelo fosse bater nos ombros, não virar um Joãozinho total...

     COMO FICOU                 COMO EU PENSEI
                                           QUE FOSSE FICAR

Concluindo, o plot de Divergente tinha tudo para ir para o cinema. Sua adaptação foi fiel ao principal ideal da autora: uma distopia. E Divergente trouxe um frescor aos filmes para jovens, onde há uma ação convincente, que convence em seus efeitos especiais e é um mundo onde o espectador consegue compreender e acreditar. Ouso dizer que o filme é melhor que o livro, sem tirar méritos do livro.


Beijinhos!

Roberta Peixe

24 comentários:

  1. Oiee ;)
    Bom, eu acho que eles quiseram aproveitar o corte da Shailene em ACEDE, né? HAHAHAH
    Eu não to na vibe ainda para ler o livro, por isso mesmo ainda nem vi o filme. Mas vai que qualquer hora dessas a vontade bate, né?

    Beijos,
    http://julianamoreire.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Juliana, obrigado pela visita e comentário.
      Eu ainda não li os livros e te confesso que não sei se vou ler. Mas assisti o filme e adorei. Um dos melhores que assisti ano passado.
      bjus

      Excluir
    2. Oi Ju!
      Vou te falar que até tinha pensado nisso, mas no ACEDE o cabelo dela estava bem maior do que este que ela tá usando em Insurgente. Me surpreendeu!!
      Eu aconselho muito a leitura, é um livro com uma história fora do comum!

      Beijos!!
      Roberta
      http://secretdoramas.blogspot.com.br/

      Excluir
  2. Assisti ao filme e gostei muito. Aguardando ansiosamente a continuação.
    Até que fiquei com vontade de ler os livros, mas depois perdi a vontade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Danny, também não tenho muita vontade de ler os livro, mas gostei muito do filme!
      Bjus

      Excluir
    2. Oi Danny. Tô ansiosa por Insurgente também.
      Mas como falei antes, essa trilogia é muuuito interessante, tanto no papel quanto nos cinemas!

      Beijos
      http://secretdoramas.blogspot.com.br/

      Excluir
  3. Eu finalmente me rendi a série e não me arrependi. Muito boa!

    http://blogdifusao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, é uma das melhores séries da atualidade!!

      Excluir
  4. Poderia falar pelo facebook, mas preferi prestigiar e comentar aqui mesmo 8D

    Eu achei esse um livro mediano, e, no último livro, a narração que é feita pelo Quatro faz ele parecer que é uma garota de 14 anos. Não tenho como opinar o filme pq não vi ainda, mas parece uma boa adaptação mesmo.

    Parabéns pela coluna \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Henrique.
      Obrigado por sua visita e por seu comentário.
      Espere que volte mais vezes.

      Excluir
    2. He, o último livro definitivamente tem altos e baixos. E como a visão do Quatro foi mostrada em um momento, digamos, crítico da história, realmente ficou sentimental demais. Mas eu, depois de uma certa revolta, acabei gostando da trilogia sim.

      Obrigada por ter comentado aqui!!

      =)

      Beijos

      Excluir
  5. Oii..
    Eu tenho até vontade de ler essa série, mas sei lá, tenho uma preguiça de começar..rs
    Eu acho que vou acabar vendo os filmes primeiro, só para não ficar na curiosidade.
    Gostei do post. É muito bom quando o filme é fiel a história mesmo. Já ouvi muito isso sobre Divergente.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Letícia, esto sofrendo do mesmo que você. Vou assistir os filmes primeiro... kkk Apesar que depois de ler o post da Roberta fiquei bem tentada a conferir os livros.
      bjus

      Excluir
    2. Gente, quando eu comecei a ler Divergente e terminei em menos de 1 semana (o que pra mim, que não leio tão rápido foi impressionante), fui na primeira livraria que vi pra comprar os dois livros restantes. Em menos de 20 dias tinha terminado a trilogia.
      Ele acaba rapidinho, a trama prende muito o leitor!!

      Excluir
  6. Olá
    Só nunca entenderei por que usam atores tão velhos para personagens bem mais novos.
    Postagem bacana.
    Abraços

    http://chacomresenha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Léo.
      Os atores mais velhos são para chamar a atenção das meninas mais novas e também tentar atrair o público mais velho, para não deixar o filme com a impressão de que somente um tipo de publico pode assistir.
      Normal isso em Hollywood...

      Excluir
  7. Divergente é maravilhoso mesmo. Não esperava grandes coisas dele, mas me surpreendeu. Só discordo de você no quesito de o filme ser até melhor que o livro, mesmo porque faltou cenas que eu achava importante e dava um ar mais pesado D: e de todos, justamente a que menos gostei, foi da interpretação da Tris ahuah eu esperava que a Tris tivesse uma cara tipo mais partindo pra briga, e a Shailene tem muito cara de menininha inocente, mas enfim. E sim, que que é aquele corte de cabelo?? Oo ela que cortou o proprio cabelo, gente, nao era pra ficar daquele jeito ._. mas né, fazendo fiel ao livro tá otimo, porque acho esse volume o melhor de todos!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br
    Tem resenha nova no blog de "Encarcerados", vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Bom, nossa opinião sobre a Shailene foi divergente (música d'A Praça é Nossa agora....)
      Mas eu já estou acostumada com adaptações, nunca dá pra ser totalmente fiel, totalmente o que eu gostaria que fosse retratado no cinema. Mas achei uma ótima adaptação.

      As vezes tenho medo de que a visão do roteirista ou do diretor seja infantilizar a história e gostei que eles mantiveram a morte de certos personagens, a violência...

      O corte de cabelo foi, para mim, um grande erro. Ele meio que masculinizou a Shailene, e o que mais curto na personagem é que ela, apesar de tudo o que a Tris passa, ela continua sendo feminina.

      Agora é aguardar Insurgente!!

      Beijinhos

      Excluir
  8. Depois da sinopse e os comentários aqui, estou me preparando para ler o livro.Gosto de ler o livro e assistir o filme para comparar um com o outro, curto muito fazer isso.Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel, tudo bem?
      Obrigado pelo comentário.
      Bjus

      Excluir
    2. Raquel, te adianto que temos isso em comum!!
      Até porque por serem mídias diferentes, tem muita coisa a ser explorada em ambas produções!
      Beijinhos!!

      Excluir
  9. Eu amei o filme,apesar de não ter conseguido ler o livro,mas ainda vou dar uma chance a ele e estou bem ansiosa por Insurgente.

    Lindo post,foi gostoso relembrar de Divergente.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia, eu também não li os livros ainda, mas adorei o filme.
      Qualquer hora dessas me animo a ler.
      Bjus

      Excluir
    2. Oi Bia!
      Também estou super animada pra Insurgente!!
      E, quando lançar, com certeza vai ter resenha aqui!!
      Beijos!

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!