[RESENHA] O Último dos Canalhas - Canalhas #2- Loretta Chase - Editora Arqueiro


Bom dia seus lindos!


Hoje minha resenha é sobre um livro que me deixou vidrada do início ao fim e com muita vontade de conhecer um canalha!


O ÚLTIMO DOS CANALHAS

Ficha Técnica:
Gênero:Ficção, Romance de época
Lançamento: 03/11/2015
Título Original: THE LASTION HELLION
Tradução: ALVES CALADO
Número de Páginas: 304
ISBN: 9788580414752
EAN: 9788580414752
Preço: R$ 29.90
E-book
eISBN: 9788580414769
Preço: R$ 19.99
Sinopse:
O devasso Vere Mallory, duque de Ainswood, está pronto para sua próxima conquista e já escolheu o alvo: a jornalista Lydia Grenville. Só que desta vez, além de seduzir uma bela mulher, ele deseja também se vingar dela.
Ao se envolver numa discussão numa taverna, Vere foi nocauteado por Lydia e se tornou alvo de chacota de toda a sociedade. Agora ele quer dar o troco manchando a reputação da moça.
Mas Lydia não está interessada em romance, principalmente com um homem pervertido feito Mallory. Em seus artigos, ela ataca nobres insen- satos como ele, a quem considera a principal causa dos problemas sociais.
Nesse duelo de vontades, Vere e Lydia se esforçam para provocar a der- rota mais humilhante ao mesmo tempo que lutam contra a atração que o adversário lhe desperta. E, nessa divertida batalha de sedução e malícia, resta saber quem será o primeiro a ceder à tentação.
LEIA UM TRECHO.
Começar uma resenha de um livro que gostei muito, é sempre um problema para mim. Não sei explicar o motivo, mas parecem que faltam palavras para que eu descreva todo o meu encantamento com a leitura. Por isto, sejam tolerantes se a resenha não ficar muito boa... rsrs

Vere Mallory é o último dos Mallory. A história diz que o nome de família significa problemas e ninguém poderia ser mais diabinho do que Vere: o desagradável, vaidoso, sem consciência, etc... etc... Duque de Ainswood. Mas o nome da família também significa Tristeza - nos últimos 10 anos isto tem sido a vida de Vere. Ir a mais funerais do que ele teria gostado, sendo o último o de seu amado primo Robin, de nove anos, o duque anterior. Assim, além de ser o desagradável, vaidoso, sem consciência, etc..., etc... ele também é triste e solitário. Ele tem levado uma vida de dissipação e devassidão (junto com seu amigo de infância Sebastian, marquês de Dain) que ficou ainda pior depois que ele herdou o título após a morte de tantos membros da família. Ele não se preocupa com o seu título ou com suas tuteladas (duas irmãs de Robin). Até que ele conhece Lydia Grenville.
"Vere Aylwin Mallory era o último canalha da família. Com bem mais de 1,80 metro, era o mais alto de todos e, segundo alguns, o mais bonito, além do mais tresloucado. Tinha o denso cabelo castanho do pai e em seus olhos - que tinham o verde mais escuro da geração anterior - brilhavam séculos da malícia e da sedução que arruinara centenas de mulheres. Com quase 32 anos, ele já pecara bastante."
Lydia Grenville é tão notória como Vere. Ela é uma escritora - uma repórter investigativa - para a revista The Argus para a qual ela escreve textos sobre um lado não muito bem frequentado de Londres, geralmente condenando a exploração de mulheres e crianças. Ela também escreve, sob um pseudônimo, um popular romance de aventura para The Argus que consegue fazer todos os londrinos esperarem ansiosos pela publicações da série. Os artigos falam sobre problemas sociais como prostituição e sua pesquisa normalmente a leva a lugares não tão bons da cidade, onde ela tende a entrar em apuros. É assim que eles se encontram pela primeira vez - ela está tentando salvar uma menina de ser sequestrada pela mais famosa cafetina de Londres e uma luta está em andamento, quando Vere tenta "salvá-la" sem perceber que esta mulher não precisa ser salva e é recompensado com um soco no estômago que literalmente o derruba. O que ele ainda não sabe é que o que realmente o atingiu foi o amor. Nas semanas seguintes ele não pode evitar colidir em Lydia, que é uma mulher independente e inteligente que sabe o que quer. E o que ela quer é manter-se independente, embora ela não esteja conseguindo se deixar cair na luxúria e no amor por Vere. E assim eles brigam e eles discutem e as faíscas voam até que ela cede e sua história entra em uma segunda fase.

Vere e Lydia juntos são quase como óleo e água. Normalmente, eu não sou uma grande fã de relacionamentos de amor/ódio ou de casais que passam uma grande parte da história brigando sem parar, mas eu não pude deixar de gostar da maneira como eles se conhecem e especialmente no início, quando eles estão testando um ao outro o tempo todo, nunca querendo ser o primeiro a ceder. O humor sarcástico que eles empregam em suas brincadeiras era pura genialidade, e também construiu alguma tensão sexual excelente entre o par. Eu estava esperando uma explosão completamente apaixonada quando eles finalmente cedessem aos seus desejos, mas as cenas de amor foram um pouco mais suaves do que eu esperava. A coisa que eu realmente gostei sobre toda a luta deles, é que o autor muito sutilmente deixa ao leitor o entendimento que na maior parte do tempo, tudo é apenas uma forma de postura para mascarar seus medos e inseguranças. Lydia usa sua máscara de menina difícil para esconder a menininha assustada dentro de si e se recusa a permitir que coisas ruins aconteçam com ela ou qualquer outra pessoa de quem ela goste. Vere se esconde por trás da máscara de dissolução e indiferença para esconder a dor e a tristeza de perder tantos entes queridos. Isto foi uma forma inteligente que a autora soube usar muito bem para que pudéssemos conhecer seus verdadeiros corações.
" - Ainswood, deixe-me explicar uma coisa: se a deia é fazer uma declaração de amor à sua esposa, diga apenas "eu te amo". Não é para provocar, desafiar, agir do seu modo beligerante. Este deveria ser um momento de ternura, e você o está estragando. Estou com vontade de jogar um balde de carvão em cima de você."
Vere e Lydia são perfeitos um para o outro, e é uma coisa boa, pois ninguém mais poderia tê-los - exceto nós, leitores de sorte.

Foi muito bom matar as saudades de Lorde Dain e Jessica. Poder estar com eles novamente e saborear a personalidade tão intrínseca de Lorde Dain. Também teremos bastante de Bertie, irmão rebelde e abilolado de Jessica a heroína do primeiro livro. Ele aparece aqui como o interesse amoroso da fugitiva a quem Lydia salva. Mas de alguma forma ele se tornou bem diferente entre os dois livros. Gostei muito mais deste Bertie, devo dizer.
A autora criou personagens muito simpáticos, divertidos de ler e que fazem toda a diferença na história. Todos contribuem para um bom desenvolvimento do enredo.

As confusões e enrascadas que estes dois se metem por conta de serem extremamente teimosos é o que há de melhor no livro. Me diverti muito acompanhando todas as suas peripécias. Tbm achei muito legal a forma como a autora soube abordar temas difíceis de forma leve. Este é um daqueles livros que a autora consegue dosar bem os elementos da história nos cativando e não nos deixando largar até que tenhamos lido as últimas palavras.

Tudo começou com um prólogo que explorou a fundo o nosso herói, criando um simpático personagem desde o início que teve algumas boas razões para ser um diabinho e um canalha dissoluto. Em seguida, os leitores são apresentados a uma heroína muito pouco convencional, uma jovem mulher sagaz e inteligente. A princípio me lembrando muito o livro anterior de Lorde Dain, mas aos poucos foi criando maneiras bem diferentes, até finalizar com uma história muito boa. Tão boa quanto o primeiro. De maneira que não consigo me decidir de qual dos dois canalhas gosto mais... Lorde Dain ou Lorde Vere?

A Editora Arqueiro mais uma vez foi feliz com a escolha da capa e toda a diagramação do livro. Uma bela publicação. Este foi o quarto livro da série publicado lá fora, mas a editora Arqueiro já explicou que os livros foram originalmente publicados individualmente, só alguns anos depois, é que uma editora resolveu juntar este e mais alguns livros e publicar como uma série. A Arqueiro também já informou que só irá publicar três livros por aqui. Somente os três que têm personagens em comum.

Para finalizar o que posso dizer é que O Último dos Canalhas, foi mais uma deliciosa surpresa que tive este ano. E ficarei aqui ansiosa e na torcida para que mais livros de Loretta Chase cheguem por aqui.
Bjus


5 comentários:

  1. Olá :)
    Quero muito ler o livro, ansiosa para comprá-lo!
    Adorei sua resenha!
    Beijos,

    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uauuu...que capa linda e pela empolgação o romance deve ser uma delicia.Já esta na minha lista de favoritos rssr...bjs e boa leitura!

    ResponderExcluir
  3. oi flor, eu me apaixonei pelo livro anterior da autora logo nas primeiras páginas e virei fã, então sempre que houver livro dela eu vou querer, espero que a história me surpreenda, capa e título ja conseguiram
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá Lia, como foi o final de ano para você?
    Eu estou lendo esse livro, mas acho que vou ter que começar de novo, tem hora que eu fico muito confusa com a historia e ai deixo ele de lado e volto depois, estou gostando da historia, porem não tanto quanto o primeiro livro do Dain.

    http://coisasdemineira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Lia
    Sou totalmente apaixonada por esta série. Também gostei demais deste livro. A autora tem um jeito de escrever seus diálogos que sempre me diverte. Já aguardo ansiosa o próximo.
    Abraços,

    Gisela
    @lerparadivertir
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!