[RESENHA] Sedução da Seda - Loretta Chase - Editora Arqueiro


Bom dia leitores!

Mais uma resenha saindo do forno pra vocês!
Hoje vou dar as minhas impressões sobre um romance de época diferente e arrojado.


SEDUÇÃO DA SEDA

FICHA TÉCNICA
LANÇAMENTO: 02/05/2016
TÍTULO ORIGINAL: SILK IS FOR SEDUCTION
TRADUÇÃO: SIMONE REISNER
GÊNERO: FICÇÃO/ROMANCE DE ÉPOCA
NÚMERO DE PÁGINAS: 304
ISBN: 9788580415698
EAN: 9788580415698
PREÇO: R$ 34.90
E-BOOK
eISBN: 9788580415704
PREÇO: R$ 22.99
Sinopse:
Talentosa e ambiciosa, a modista Marcelline Noirot é a mais velha das três irmãs proprietárias de um refinado ateliê londrino. E só mesmo seu requinte impecável pode salvar a dama mais malvestida da cidade: lady Clara Fairfax, futura noiva do duque de Clevedon. 
Tornar-se a modista de lady Clara significa prestígio instantâneo. Mas, para alcançar esse objetivo, Marcelline primeiro deve convencer o próprio Clevedon, um homem cuja fama de imoralidade é quase tão grande quanto sua fortuna. 
O duque se considera um especialista na arte da sedução, mas madame Noirot também tem suas cartas na manga e não hesitará em usá-las. Contudo, o que se inicia como um flerte por interesse pode se tornar uma paixão ardente. E Londres talvez seja pequena demais para conter essas chamas.
Primeiro livro da série As Modistas, Sedução da seda é como um vestido minuciosamente desenhado por Loretta Chase: de cores suaves e românticas em alguns trechos, mas adornado com os detalhes perfeitos para seduzir.
BAIXE UM TRECHO.

Curiosidades:


A Editora está disponibilizando um livreto com todas as informações sobre os romances de época já publicados pela mesma. O leitor terá a oportunidade de ler os primeiros capítulos dos romances publicados e conhecer melhor as autoras. Para baixar, clique aqui.


Este é o primeiro livro da Série As Modistas de Loretta Chase.  A série é composta por 4 livros, todos já publicados nos EUA.

Marcelline Noirot é a mais velha de três irmãs. Ela é uma jovem mulher determinada, ambiciosa e quase sem dinheiro. Ela e suas irmãs estão lutando há anos tentando fazer sua loja Maison Noirot ficar famosa. Mas é difícil conquistar a elite inglesa. Determinada a mudar isso, Marcelline persegue o Duque de Clevedon quando os jornais e os mexericos da sociedade indicam que ele está se preparando para voltar para a Inglaterra para se casar com sua amiga de infância, Lady Clara Fairfax.

Através da personagem Marcelline e suas irmãs, podemos ter a exata noção das dificuldades e da luta que as mulheres tinham para serem ouvidas e tratadas com respeito e confiança. E o quanto seria difícil sobreviver de sua arte.

Clevedon é daqueles aristocratas que precisa aprender algumas lições ao longo do caminho. Seu caráter é menos original: boa aparência, arrogante e egoísta, até certo ponto, com uma história familiar triste. Como um homem e como um Duque, Clevedon tem pouco para mostrar como ele é. Basicamente, levou uma vida dissipada e ignorou suas funções desde que herdou o título. Ele quer Marcelline, e mesmo que haja um casamento previsto em seu futuro imediato, ele deve tê-la, não importa as consequências. Ele é impulsivo e nem sempre considera como suas ações poderão afetar sua noiva Clara, Marcelline ou até mesmo a si próprio a longo prazo.

Você pode adivinhar o que acontece em seguida? Pode um Duque, que é tão bom como noivo de outra mulher, na verdade, ter um felizes para sempre com uma costureira?

Este resumo pode parecer detalhado o suficiente, mas mal arranha a superfície desta história um tanto complicada. Estes dois personagens enfrentam muitos problemas, a partir do fato de que ele é um Duque e ela é uma costureira que está determinada a ser um sucesso em seu comércio. Sim, você leu certo - Marcelline não se contenta em se tornar a esposa do duque e mãe de seus filhos - ela quer provar a todos que ela é, como ela afirma, a melhor costureira do mundo. Será que ela consegue?

No início de cada capítulo, há trechos de publicações da época, o qual acredito a autora tenha usado como fonte de pesquisa e eu achei que foi uma maneira brilhante de proporcionar autenticidade e contexto histórico para a história.

Mais uma vez a Editora Arqueiro realizou um ótimo trabalho. A capa é linda! As fontes são de bom tamanho. As páginas amareladas nos proporcionam conforto durante a leitura. Sem erros de revisão e uma diagramação simples e impecável.

Minhas considerações:

Quando solicitei este livro para resenha, tinha certeza absoluta de que iria amar, já que gostei muito dos livros O Príncipe dos Canalhas e O Último dos Canalhas da mesma autora. Loretta me fisgou completamente nesses livros e a minha expectativa sobre Sedução da Seda era grande. Infelizmente fico triste em dizer que o livro não correspondeu a elas. Apesar da história ser bem escrita, e ter muitos dos elementos que costumo gostar em um romances de época, dessa vez não houve o encantamento esperado.

Eu não consegui gostar dos protagonistas. Não consegui me sentir cativada por eles. 
Marcelline Noirot, é uma mulher forte, determinada, a frente de seu tempo e isto é algo que gosto nas mocinhas. Gosto quando são decididas e quando lutam por aquilo que querem, mas mesmo com toda a explicação e os motivos que nos são apresentados para ela usar dos artifícios que usa, para a maneira como ela joga com os sentimentos das pessoas, isto não me convenceu. Não consegui engolir muito bem todas os seus ardis e golpes para conquistar o que queria. Neste caso os fins em minha opinião não justificam os meios.

No caso do Conde de Clevedon, não gostei de sua postura, de sua falta de comprometimento com as coisas e da maneira leviana como ele sempre achava que tudo iria ficar bem. Mesmo ele dando uma melhorada do meio para o final, mesmo assim não me conquistou.

E quando os protagonistas não te conquistam a coisa fica complicada. Eu gostei da premissa e achei muito interessante e diferente a forma como a autora desenvolveu sua história. A leitura fluiu bem. Alguns personagens são bem interessantes, e o que mais me cativou foi a filha de Marcelline, com seus olhinhos azuis e sua espirituosidade.

Uma das coisas que gostei muito no livro, foi a atmosfera. A sensação que Marcelline provoca sempre que ela entra em um salão de baile vestida com uma de suas criações, foi muito bem detalhada pela autora. Eu quase posso ver seus vestidos na minha mente. Ela se faz presente em reluzente salões em toda Paris e Londres, fazendo uma marca na moda que nenhum dos personagens consegue esquecer. Para mim, isso acrescentou muito ao livro.

É claro que não estou dizendo que o livro é ruim ou que eu não tenha gostado dele. Só estou querendo mostrar o motivo dele não ter me conquistado totalmente. Esta é minha opinião. Pode ser que vocês leiam e achem maravilhoso. Por isso eu sempre aconselho que meus leitores leiam e tirem suas próprias conclusões.
Bjus

8 comentários:

  1. Oi Lia, sua linda, tudo bem?
    Que pena que não conseguiu se envolver com os personagens, Eu não li os livros anteriores dela, esse foi meu primeiro contato com a autora e eu amei. Eu sei que os personagens não eram perfeitos, mas eu me senti dentro de um jogo, achei os diálogos muito intensos e torcia muito por eles. A noiva dele me surpreendeu, gostei muito dela também e descobri que um dos livros a trará como protagonista. Não vejo a hora de ler os outros. Gostei muito da sua sinceridade. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila, obrigada!
      Também gostei da Clara. No início a achei apática, mas no decorrer da história ela foi amadurecendo e ficando mais forte. Torço para que no livro dela, ela consiga brilhar.
      Bjus

      Excluir
  2. sedução da seda foi uma sedução do começo ao fim, Lia!
    a trama de Loretta é fluida, agradável, sensual e romântica! amo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Thaila1
      A Loretta escreve muito bem!
      Bjus

      Excluir
  3. Oi Lia!

    Eu já adorei os protagonistas, achei a Marcelline uma mulher que valoriza o trabalho, como esses Ceo de empresas que são totalmente agressivos para fazerem suas empresas crescerem rsrsrs e assim, ela nunca mentiu para o Clevedon, então eu a olhei com outros olhos, mas entendo sua posição. A edição tá linda né? Adorei a capa!

    Bjs, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michele.
      Infelizmente não consegui gostar dela. Mas é um bom livro e a capa está um arraso!
      Bjus

      Excluir
  4. Oi, Lia!
    Eu acho que essa foi a primeira resenha negativa que li desse livro. Nunca um livro é perfeito e é sempre bom ver o lado de quem não gostou...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza.
      Eu gostei da história. A autora escreve muito bem. Só não curti muito os protagonistas.
      Bjus

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!