[RESENHA] O Diário Internacional de Babi - Chris Salles - Planeta de Livros Brasil



    Olá, eu sou Kênia Cândido do Blog Histórias Existem Para Serem Contadas e colaboradora do Blog Doces Letras.
   
 Hoje eu venho apresentar minha resenha do livro O Diário Internacional de Babi, escrito pela Chris Salles e publicado pela Editora Planeta do Brasil.
Venha conferir minha opinião:



. Dados Sobre o Livro:

- Autora: Chris Salles
- Editora: Planeta do Brasil
- 1ª Edição
- Ano: 2016
- 272 páginas
- Adicione: Skoob

- Onde comprar: Folha | Fnac | Saraiva | Submarino | Travessa

. Sinopse:

Mudar nunca foi a palavra preferida de Bárbara. Porém, depois da separação dos pais, a garota de 15 anos se vê obrigada a migrar com a mãe e os irmãos para Orlando, a cidade americana onde os sonhos ganham vida. E descobre que a fronteira entre o real e o ilusório pode ser mais difícil do que parece.

Ótimo!

      O Diário Internacional de Babi é um livro muito gostoso de se aventurar, proporciona  várias horas agradáveis de leitura.
     A história inicia-se com Bárbara, uma jovem prestes a completar 15 anos dentro do avião escrevendo no seu diário, tentando desabafar a frustração de estar  de mudança  com a mãe Val, a irmã mais velha Alice e o irmãozinho Daniel de quatro anos, para Orlando nos Estados Unidos.
     Após a separação dos pais, a mãe pretendia ter um recomeço ao lado dos tios de Babi que viviam bem estabelecidos no país há sete anos.
    Mas Babi gostaria de permanecer no Brasil, junto com seus amigos e tendo a convivência com o pai. O problema é que o pai já estava com uma nova esposa e Babi não aceitava a hipótese de morar com ele.
    Como despedida os amigos de Babi fizeram uma pulseira e cada amigo colocou um pingente na pulseira, porém Babi perdeu o presente durante o embarque e quando foi até a comissária pedir um copo d’água, um rapaz aproximou-se da Babi perguntando se a pulseira de pingentes era dela.
   Theodore Medina nasceu nos Estados Unidos, mas ficou morando com a mãe por três anos no Brasil e estava retornando a Orlando para terminar o ensino médio porque pretendia cursar faculdade de produção musical. 
    Quando chegou a Orlando Babi foi despedir-se de Theo, ele pediu o endereço onde ela iria morar.  Como Babi não sabia, Theo escreveu o numero do telefone da casa do pai no pulso da  Babi, para ela entrar em contato ele e a moça começa a mudar de ideia sobre morar em outro país.
     Por ser uma história juvenil, eu achei a Babi um pouco madura para sua idade. Isso contribuiu para a leitura fluir perfeitamente de forma leve e bastante fácil de compreender.
     Um detalhe que gostei bastante foi a Babi narrar a história através do diário. Ela é o tipo de personagem que cativa, prende por ser autêntica e  mostrou alguns conflitos durante sua adaptação em um país diferente.
     A edição do livro está caprichada. A capa é charmosa, diagramação está impecável e as folhas são amareladas. A cada inicio de capítulo contém ilustrações de objetos relacionados com a Babi e também contém datas com os dias da semana.
    Leitura recomendada, principalmente  para leitores que gostam de romance juvenil descontraído.
“Alice, minha irmã mais velha, pergunta como eu, a dramática da família, consigo escrever no diário numa hora dessas. 
Bem, mamãe  me deu isso aqui para que eu pudesse desabafar. 
Ela disse que seria uma ótima forma de eu sair da concha onde me escondo por causa da timidez.”   
( Babi – pág. 05 ) 

“Ai,ai. Já estou me vendo no meio daquela americanada toda, sem saber quase nada de inglês e com a maior cara de tacho do mundo!
 Acho que vou seguir o conselho dos pingüins do Madagascar: 
Apenas sorria e acene, sorria e acene...”   
( Babi – pág. 65 )

“ Não acreditei em nada. 
Até porque, se eu não conheço o Theo, descobri hoje que conheço meu próprio primo muito menos.” 
( Babi – pág. 224 )

    . Sobre a Autora:


     Nascida no Rio de Janeiro, Chris Salles vivia lendo pelos cantos da casa na infância, costume que levou para a vida adulta. Hoje é também fascinada por viagens, paletas de cores, filmes do John Hughes e canetas coloridas, além de ser PhD em humor autodepreciativo e em se esquecer do mundo quando está com fones de ouvido. Formou-se em serviço social na Universidade Federal Fluminense e engatou no curso de letras, quando percebeu que seu destino era a literatura. Em 2013, começou a publicar suas histórias no site Wattpad, onde seus escritos tiveram mais de 5 milhões  de visualizações, atraindo leitores adolescentes de várias partes do mundo.


   Bjos e até a próxima...



 


10 comentários:

  1. Oii Lia, adorei seu post.. A resenha me despertou a curiosidade.
    Confesso que não é bem o estilo de livros que costumo a ler..
    Mas ele pareceu bem divertido ;)

    Beijos
    Fran
    Achei e Rabisquei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran.
      A resenha é da Kênia flor.
      Também fiquei com vontade de conferir.
      Bjus

      Excluir
  2. Oi Kênia, mais uma ótima resenha.
    Me deixou curiosa a respeito do livro.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lia o livro é muito fofo. Vale a pena conferir a história.

      Bjos

      Excluir
  3. Livros juvenis sempre tem um ar encantador e bem divertido, achei muito interessante sua resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Josiane. A Kenia vai ficar feliz em saber.
      Bjus

      Excluir
  4. Oi Kênia!

    Eu gosto de romances juvenis, principalmente depois de ler um livro com temas mais pesados. A capa é uma fofura! Adorei a dica!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi Kenia!
    Parece uma leitura muito agradável. Sua resenha medeixouinteressada em saber mais sobre a história.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Irene.
      A Kênia sempre consegue me deixar curiosa com suas resenhas.
      Bjus

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!