[RESENHA] Meu Querido Meio-irmão - Penelope Ward - Editora Pandorga


Bom dia seus lindos!


Hoje vou compartilhar minhas impressões sobre um livro que mexeu com meus sentidos e emoções!
Vem comigo...


MEU QUERIDO MEIO-IRMÃO

Ficha Técnica:
Autora: Penelope Ward
Editora Pandorga
ISBN: 978-85-8442-071-1
Assunto: Romance
Preço: R$ 34,90
Sinopse:Não é normal desejarmos alguém que nos atormenta. Quando meu meio-irmão, Elec, se mudou para nossa casa, eu não estava preparada para lidar com um cara tão idiota. Odiei o fato de ele ter descontado sua raiva em mim porque não queria estar aqui. Odiei ele ter trazido garotas da escola para seu quarto. Mas o que mais odiei foi o modo indesejável que meu corpo reagia a ele.
A princípio, pensei que tudo o que ele tinha a seu favor era o corpo musculoso e tatuado e o rosto perfeito. Mas as coisas começaram a mudar entre nós, e tudo teve um desfecho em uma noite inesquecível. No entanto, do mesmo modo que Elec entrou na minha vida, logo voltou para a Califórnia. Passaram-se anos desde a última vez que o vi. Quando a tragédia atingiu nossa família, tive que encará-lo novamente. E, diabos, o adolescente que me deixou louca se tornou o homem que destruiu o resto de sanidade que havia em mim. Senti que meu coração estava prestes a ser partido. De novo.


Sabe aqueles livros, que você pega para ler pensando que será mais do mesmo? Pois é, pra minha sorte, não foi isto que aconteceu neste livro. Quando iniciei a leitura, não tinha grandes expectativas, pois ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre o livro. Tudo que eu sabia, vinha de comentários aleatórios em redes sociais e sempre elogiosos. No início fiquei achando a história meio boba, parecida com outras que já tinha lido. Mas ao virar das páginas, fui ficando cada vez mais envolvida na relação de Elec e Greta. Garrei no livro e li em um dia, tanto foi o envolvimento. rsrsrs

O livro é narrado em primeira pessoa pela Greta. É ela quem vai nos contando os acontecimentos, a partir da chegada de Elec em sua casa e vida. Greta é uma jovem de 17 anos, ainda imatura e ingênua em relação ao amor e relacionamentos em geral. Tem um bom coração, é amorosa e leva a vida de uma forma tranquila. Isso tudo muda com a chegada de Elec, o filho de seu padrasto, que apesar de saber que existia, nunca tinha tido nenhum contato antes.

Elec tem a mesma idade de Greta, mas é mais maduro, e tem uma grande carga emocional dentro de si. Sua vida não foi fácil, e sua vinda para morar com o pai por um tempo, o deixa extremamente nervoso e com raiva da situação. Ele pretende fazer da vida deles um inferno pelo tempo que estiver ali. Mas após conhecer Greta e começar a conviver com ela, seus sentimentos vão mudando e Elec começa a enxergar as coisas de uma forma diferente.
" Eu sentia que estava me apaixonando por ela de várias maneiras, e não estava gostando disso. Não estava apenas atraído, mas ela era a primeira garota cuja companhia me agradava. Precisava me manter no controle, pois não era uma opção ir mais longe, com ela. (POV Elec - Pág. 194)"
Elec e Greta acabam se envolvendo, se apaixonando, mas Elec luta muito contra isso, já que teme magoar mais ainda sua mãe, que por conta da separação, é uma pessoa amargurada e problemática. Greta por sua vez, se entrega totalmente ao sentimento e espera que seu amor seja suficiente para fazer as coisas darem certo. É claro que isto não acontece, ainda mais com Elec tendo que partir abruptamente, voltando para casa e com a perspectiva dos dois nunca mais se verem. O problema é que na noite antes de sua ida, ele cede a tentação e tem uma noite mágica de amor com Greta. Será que a separação vai ser definitiva? Será que Greta e Elec, irão se esquecer um do outro? Será a distância capaz de apagar os sentimentos?

Isso tudo nos será mostrado na segunda parte do livro, após uma passagem de 7 anos, onde Greta está atualmente morando em Nova York. Apesar de ter se tornado uma mulher independente, e de ter namorado alguns caras, Greta nunca se recuperou daquela noite. Não conseguiu esquecer Elec e lá bem fundo sempre teve a esperança de um dia voltar a vê-lo e conseguirem ficar juntos.
" A única diferença era que a pessoa que esteve no meu quarto, naquela noite, ainda era essencialmente um menino, e a pessoa à minha frente, naquele momento, era um homem. (Greta - Pág. 120)"
Até que o destino lhes prega uma peça. Randy, padrasto de Greta e pai de Elec, morre e os dois terão que ficar cara a cara novamente, durante o velório e enterro. Nessa parte do livro, fiquei com muita raiva de Elec, em algumas passagens, pela forma que ele trata Greta. Como se quisesse magoá-la, pisar em seus sentimentos. Enquanto Greta está sozinha, frágil, enredada em todos aqueles sentimentos que ainda nutre por ele. Elec ainda vive na Califórnia e continua cuidando de sua mãe, mas ao mesmo tempo seguiu em frente, se formou, é um conselheiro e trabalha com crianças carentes e arrumou uma namorada, com quem mora junto, e pretende se casar. Sim, isso mesmo. O cara pretende se casar e é como se aquela noite e tudo que viveu com Greta não tivesse sido nada pra ele.

Eles têm que conviver durante alguns dias, e aos poucos vamos percebendo o quanto Elec também está se sentindo mexido com tudo. Percebemos que ele ainda tem algum sentimento por Greta e comecei a torcer para que eles se acertassem de vez, mas a autora me tirou o chão quando os dois se despedem mais uma vez, e mais uma vez Elec deixa Greta sofrendo e insegura.

Greta volta para Nova York e tenta continuar seguindo com sua vida, mas tudo parece mais difícil ainda desta vez. Até que ela recebe um mensagem de Elec, pedindo que ela leia sua autobiografia, onde finalmente ela terá a chance de conhecer tudo sobre ele, todos os segredos, os medos e as coisas que o fizeram ser quem é. Com certeza Greta aceita receber e ler seu livro, mesmo ele avisando que não está terminado. Eu fiquei meio receosa do que viria dali. Mas como Greta, eu também estava mega curiosa pra entender os motivos que o faziam ficar separados.

Gente esta é a parte melhor do livro. Onde você tem a chance de saber de toda a história pelo ponto de vista do Elec, e foi ali que ele me ganhou finalmente! Elec sofreu tanto... Foi tão forte e corajoso e era tão profundamente carente... Não vou me estender mais, porque acho que este livro vale a leitura. Vale a pena a gente perceber que nem sempre as coisas são o que parecem. Que nem sempre o que uma pessoa te mostra, é o seu eu verdadeiro. Que nem sempre uma frase negativa, quer te colocar pra baixo. Ás vezes é só uma forma de tentar negar aquilo que se sente.

Quanto a parte gráfica: Eu gostei da capa, mesmo ela remetendo a um livro erótico, o que não é. Tem sim algumas cenas hots, mas são poucas e bem inseridas no contexto. A cor das páginas, as fontes usadas, propiciaram uma boa leitura. A revisão está boa, só encontrei uns errinhos, mas nada que atrapalhasse a leitura.
" Coloquei meus braços em volta dele, e deixei escapar um suspiro, tão intenso que qualquer um poderia pensar que eu o vinha segurando há sete anos. E talvez fosse verdade. (Greta - Pág. 244)"
Uma história simples, mas bem elaborada. Segredos, decepções, drama, amor são apenas alguns dos elementos que quando juntos fizeram toda a diferença nesta trama que me pegou de jeito. Um final delicioso, e um epílogo que me deixou com lágrimas nos olhos. Meu primeiro contato com Penelope Ward, foi maravilhoso! Espero que a editora traga logo mais livros dela.
Bjus


2 comentários:

  1. Uau! Que resenha intensa e cheia de afeto pelo livro. É meio difícil não ficar com muita vontade de ler um livro que nos é apresentado de uma forma tão boa! Eu amo bons romances então lindamente que foi para a listinha!

    Jaci
    O Que Tem Na Nossa Estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Pandora!
      Esse livro é muito gostosinho de ler.
      Espero que curta a leitura.
      Bjus

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!