[RESENHA] Mentiras como o Amor - Louisa Reid - Novo Conceito


Boa tarde leitores!


Passando para deixar com vocês, minhas impressões sobre um livro que aborda um tema difícil, triste, atual e de certa forma desconhecido de muitos de nós.
Vem comigo...


MENTIRAS COMO O AMOR


Ficha Técnica:
Autora: Louisa Reid
ISBN-13: 9788581637006
ISBN-10: 8581637000
Ano: 2017 / Páginas: 473
Idioma: português
Editora: Novo Conceito
Sinopse:
Audrey sabe que sua mãe está certa quando tenta salvá-la de si mesma. Ela sabe que tem sido injusta, por isso precisa, por seu irmão mais novo e pela sua mãe, seguir em frente. Audrey tenta manter todos felizes. Juntos, eles estão em busca de dias melhores.
A mãe de Audrey, à sua maneira, tenta ajudar a filha a controlar a doença para que ela possa encontrar um recomeço seguro.
Então Audrey conhece Leo, e com ele é difícil fingir quem ela realmente é. Leo torna a vida de Audrey realmente complicada, pois essa amizade faz com que ela deseje ousar ser ela mesma, enfrentar a vida.
Agora, Audrey precisará decidir: cuidar de sua família, especialmente de seu irmão, ou continuar sonhando com a vida que tanto deseja?
BAIXE UM TRECHO || GOODREADS || SKOOB || COMPRAR


Eu tenho que dizer, que não tinha certeza do que esperar deste livro. Ainda não tinha lido nada da autora Louisa Reid. A sinopse prometia algo misterioso e o qual eu iria gostar, a capa é intrigante e linda! O que eu não esperava era ser completamente fisgada pela história... 

Mentiras como o Amor, é contado sob dois pontos de vista, intercalados por Audrey e Leo, nos permitindo ver Audrey através dos olhos de Leo, e também nos deixando descobrir mais sobre ela, através dele. Sobre sua vida, a família e a personalidade de Audrey. Fora que a voz dele é distinta e atraente.

Vamos conhecer a história de Audrey, seu irmão Peter, sua mãe Lorraine e de Leo. Audrey acabou de se mudar para uma casa chamada A Granja, mas Audrey está sofrendo de depressão e se auto-punindo. Ela não tem amigos, ela teve acidentes envolvendo água quando ela era mais nova, então, o que exatamente está acontecendo? 

Sua mãe está tentando cuidar dela e fazê-la se sentir melhor. Audrey está tentando cuidar de seu irmãozinho Peter enquanto ele se instala em uma nova escola. É aí que ela conhece Leo, que está morando com sua tia Sue em uma casa não muito longe da dela. Mas com a mãe de Audrey querendo proteger e cuidar de sua filha, Audrey será capaz de fazer amigos, crescer e amar? Será que ela será capaz de libertar-se e se livrar do que a está segurando e deixando mal?

Quando ela se muda, tudo que ela espera é que isso signifique um novo começo para sua família. Ela só quer ser normal, fazer coisas de adolescentes normais. Quando ela conhece Leo, seu vizinho que é um pouco mais velho, ela descobre que pode haver um espírito afim lá fora para ela.

Aos poucos ela vai se deixando aproximar de Leo, passa a confiar nele, a querer estar próxima dele, e a gostar dele. Ao mesmo tempo Leo vai se enredando cada vez mais nos problemas e mistérios que compõe a vida de Aud e também gostando cada vez mais dela.
 Não se consegue uma noite como aquela sem pagar o preço. Era nisso que eu estava pesando enquanto voltávamos para casa, mas eu não disse nada; não queria que Leo se preocupasse. 
Uma das minhas partes favoritas do livro foi quando Leo leva Audrey para a feira e, mais tarde, em Londres. Meu coração se alegrou com eles e eu podia sentir seu amor crescendo página após página! Eu podia sentir o quão livre Audrey se sentia quando estava com Leo e desejei que ela pudesse ficar feliz desse jeito pelo resto do livro!

Embora o romance adolescente seja uma grande parte da história, são as relações que Audrey tem com o irmão mais novo, Peter e sua mãe, que realmente formam a base dessa história. Ela é tão atenciosa em relação ao irmão mais novo, querendo esconder a realidade de sua doença dele e se manter sorridente o quanto ela pode, para mantê-lo no escuro.  O relacionamento dela com o irmão é um dos mais lindos que já li.

Sua mãe desconfia de seu novo relacionamento com Leo, temendo que ele cause uma nova recaída em seu estado mental, mas Audrey se esforça para enfrentá-la. Falando em sua mãe, ela me deixou bastante irritada em algumas passagens da história, com o uso de palavras forte e agressivas, que costumava usar para lidar com a filha, que é uma pessoa frágil.

A história está envolta em mistérios e suposições, e isso me manteve ligada, porque eu queria muito entender, descobrir tudo que fazia tanto mal a Aud e de que maneira a autora iria trabalhar isso. Eu gostei da forma como os elementos mais escuros da saúde mental de Audrey evoluem e se revelam ao longo do caminho. Torna-se muito óbvio em cerca de dois terços da leitura de onde está a raiz de seus problemas, mas então um sentimento tenso nos toma o pensamento: não sobre "quando" mas sim "e se" ela vai conseguir se curar e se livrar do que os causa.
 As batidas pareciam que durariam para sempre. Eu me virei, profundamente adormecida, tentando bloquear a fonte daquele barulho, mas o ruído não cessou. E em seguida uma voz começou a chamar, Audrey, Audrey - o som chegava tão gentil e doce que as lágrimas rolaram outra vez e em me virei para segui-la no escuro, imaginando se poderia chegar a algum lugar mais iluminado. Se eu poderia deixar meu corpo para trás e me erguer no ar.
Eu não posso contar muito mais da história, porque além de soltar algum spoiler indevidamente, também vai tirar muito do fascínio e da surpresa que temos com a leitura. E da maneira como vamos encarar os problemas pelos quais Aud passa e da maneira como vamos lidar com tudo que vai se revelando durante a leitura.

A única coisa que não me agradou muito foi o final, mas eu entendi a proposta da autora, de dar a Aud a chance de se conhecer e de aprender a encarar a vida aos poucos, se tornando mais forte e mais segura ao longo do processo. E gostei da possibilidade de felicidade que ela deixa sutilmente no ar.

Quanto a parte técnica do livro: Eu gostei da capa. A diagramação é simples mas eficiente. A cor das páginas, o espaçamento entre as linhas, e a fonte usada me propiciaram uma ótima leitura.

Mentiras como o Amor é uma leitura forte, densa e que trata de assuntos difíceis como depressão, de uma forma lúdica e sensível. Que nos toca o coração e que nos ensina um pouco mais do quão difícil é conseguir se curar sozinho, de lutar sozinho contra ela. Uma leitura mais que recomendada.
Bjus


2 comentários:

  1. Oi Lia
    Não imaginava que a história abordava temas tão fortes, quando li a sinopse nem dei muito importância, apesar de ter achado a capa bem bonita. Gostei da sua resenha me fez ver o livros com outros olhos.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Renata.
      Eu também me surpreendi com o drama e a carga emocional da história.
      Bjus

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!