[RESENHA] Metrópole - Contos que a Vida Conta | R.M. Sant’ Ana


    Hoje eu trago para vocês o livro Metrópole - Contos que a Vida Conta  R.M. Sant’ Ana e publicado pela Editora Autografia.

     Venha conferir.




. Dados Sobre o Livro:

- Autor: R.M. Sant’Ana
- Editora: Autografia
- 1ª Editora
- 162 páginas
- Ano: 2017
- ISBN: 978-85-518-0488-9
- Sinopse: Metrópole - Contos que a Vida Conta traz consigo uma denúncia social romanceada, provocando uma leitura profunda e envolvente. Perfeito para se manter na cabeceira e ler conto a conto, dia após dia, a qualquer momento, o livro proporciona um olhar diferenciado sobre as periferias mundo afora.



 
Muito bom!

      Através da Literatura Marginal, o livro Metrópole - Contos que a Vida Conta,  reúne dezenove textos com histórias e fatos bem realistas, personagens comuns e a cruel realidade que estamos cansados de presenciar em noticiários de televisão e jornais.
      Particularmente, gostei de todos os contos, mas alguns ganharam destaque a mais por abordar dureza que muitos brasileiros convivem e principalmente a diferença socioeconômica da região de São Paulo.
      Infelizmente não vou mencionar todos os contos, porém aconselho  ao leitor não descartar nenhum conto durante a leitura por serem bastante envolventes.
      O primeiro conto do livro chamado São Paulo, Metrópole da Desigualdade, o professor Cláudio dá uma verdadeira aula, mostrando perfeitamente como o estado é considerado uma metrópole repleta de problemas sociais no que diz respeito às necessidades básicas da população. Até uma pessoa bem esclarecida como ele, estava sofrendo as conseqüências da exclusão social.
      Sabe aquele ditado que fala que dinheiro não traz felicidade? Eu não concordo muito com ele, mas no conto Feliz Aniversário, essa frase encaixou perfeitamente. Na história, dois pais, Juarez e Arthur estavam comemorando o primeiro aniversário dos seus filhos. Enquanto Juarez mostra uma festa simples, com alguns  vizinhos,  o filho vestido com roupas  simples e um humilde bolo. 
      Arthur  fica encarregado de mostrar a festa de aniversário do filho em um salão  de festa  do condomínio com direito a  Buffet, garçons oferecendo bebidas e petiscos e palhaços contratados para fazer animação das crianças. Contudo Arthur não tinha a felicidade que Juarez tinha dentro de uma casa na periferia.
     Outro conto que mereceu destaque, foi Quarta- feira de Cinzas, que contou a  história de Silvio. Ele foi obrigado a ficar em casa  durante o carnaval, enquanto sua esposa estava viajando com os filhos. O problema que Silvio resolveu sair para uma noitada de carnaval com o amigo Jonas e o resultado desse momento de lazer, Silvio carregará pelo resto da vida.
     Além dos três contos que mencionei os outros contos também tiveram uma leitura de fácil compreensão e mostrando a dura e cruel realidade.
     A diagramação está bacana na folhas brancas, a capa corresponde com os contos encontrados no livro. Cada início dos contos contém uma ilustração representando a história  que o leitor irá ler.
     Enfim, se você é o tipo de leitor que aprecia contos mostrando um pouco da vida periférica e uma narrativa sarcástica, então vale a pena conferir cada historia.


Livro oferecido gentilmente pela Editora Autografia.

“Ainda criança foi obrigada a abdicar de qualquer sonho ou fantasia, comuns às garotinhas daquela idade, para enfrentar o martirizante dia a dia de trabalho daqueles que não têm direito à infância.”  ( Conto: Coração de Papelão – pág. 16
“ As árduas marcas visíveis em sua face deixam transparecer que ele foi alguém que lotou muito, porém a pesada expressão de tristeza mostra que infelizmente, nem sempre lutador é sinônimo de vencedor.”  ( conto: Na Esquina de Um Beco  - pág. 29 )
“ No Brasil não é diferente. Basta percorrer as ruas sujas dos becos e favelas para se deparar com diversos meninos dotados deste talento nato esperando – mesmo que inocentemente – que alguém os descubra.”  (  conto: Cartão Vermelho – pág. 103 )

    . Sobre o autor:

      Oriundo de um dos mais conhecidos guetos periféricos de São Paulo, a VILA BRASILÂNDIA, gerente comercial de profissão, artista plástico e escritor por paixão... Durante duas décadas trabalhou em empresas dos mais variados portes e segmentos, ingressou nos cursos superiores de Arte Educação, Letras e Mídias Digitais, antes de, finalmente se formar em Marketing. Flertou com o Teatro dos dez aos vinte e poucos anos, período onde tomou gosto por contar estórias e começou a escrever.


     Já leram Metrópole- Contos que a vida conta?
     

Kênia Candido:
Eu sou dona do blog Histórias Existem Para Serem Contadas. Mineira completamente apaixonada por livros, filmes e seriados de TV.

4 comentários:

  1. Faz muito tempo que não leio contos, hein... Eu gostei muito já, mas o último que eu li foi uma decepção total e resolvi parar um pouco.
    De qualquer forma, me interessei por esse, acho que mostrar a realidade em contos é bem interessante, mas principalmente fiquei curiosa com a questão de mostrar as diferenças na sociedade, e principalmente em São Paulo.
    Espero poder ler o livro.
    Adorei a resenha.
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Adoro contos, porque podemos ir lendo aos poucos. Achei interessante os assuntos dos contos, parecem bons.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Acho que vou gostar desse livro, parece muito legal e gosto bastante de contos.
    Gostei muito da sua resenha, ficou 10 e a capa do livro é muito fofinha
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha do conto! Gostei muito do tema,gosto de livro que tem como retrato a vida real e as "durezas" da vida e a desigualdade,enquanto uns com muito outros com pouco, infelizmente a vida não é fácil! Bjosss 😘 ilane
    aleituramagica.wordpress.com

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!