Resenha - A Arte da Invisibilidade

Olá, voltando ao blog, para postar a segunda resenha de hoje!
Dessa vez a resenha é da parceira Dracaena!
Mais uma vez, espero que gostem e que deixem seus comentários.



Título: A Arte da Invisibilidade
Autor: Allan Pitz
Editora: Dracaena
Gênero: Ficção
ISBN: 9788564469525
Nº de páginas: 132


Sinopse - 



Área 51? Matrix? Iluminatis? 

A Editora Dracaena resolveu apostar no livro ultra polêmico ‘Pop filosófico’ A Arte da Invisibilidade, do autor carioca Allan Pitz, que realmente promete mexer com imaginário Nerd popular.

O livro não só confirma (dando exemplos cabíveis) a existência de uma ‘matrix ilusória’, criada para nutrir-se de nossa sociedade privada de evolução, mas, também, apresenta formas interessantes de nos tornarmos invisíveis a esta prisão hipnótica.

Para que, por fim, a Terra possa se reunir de uma vez com os representantes intergalácticos de outros povos (interessados em nossa evolução, e prontos para o desembarque em solo terrestre). 
Uma viagem daquelas!Segundo o autor, a obra suscita aspectos evolutivos decadentes na filosofia humana atual, empurrando as mentes para soluções simples e libertárias. 
Trazendo de volta poderes adormecidos da raça humana.

Tudo isto à base muito vinho tinto e irreverência, já que Pitz se auto intitula PhD em Patavina, e grande nerd orgulhoso da boa geração Atari.Imperdível para quem curte as histórias de conspiração e segredos governamentais.

Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Allan Pitz, no Skoob.

livro no Skoob.

Resenha - Por: Lia Christo

A Arte da Invisibilidade não é uma estória, e sim um monnólogo onde o autor fala sobre a sociedade atual e sobre o comportamento das pessoas.  Está repleto de partes polêmicas e de partes surreais.

Apesar de não ser o meu estilo literário preferido, o livro é bem escrito, tem boa paginação, e é bastante diferente e interessante.
O autor escreve de uma maneira crua e forte, nos fazendo pensar e analisar os nossos sentimentos e nossas ações.

Quando falei sobre partes surreais, foi em relação as partes em que o autor fala sobre a sociedade em que vivemos como se fosse algo para nos parisionar um pouco, como o filme Matrix... Meio doido não?

Confesso que demorei um pouco a ler o livro, mesmo ele sendo fininho. Como se trata de um monólogo me peguei várias vezes, tendo que reler algumas partes, para que eu pudesse entender o real sentido do que o qutor nos queria passar.

Quem nunca se pegou fazendo coisas que não gosta ou não concorda somente para poder se integrar a essa sociedade manipuladora que vive nos maltratando e nos fazendo de marionetes?

O autor nos fala sobre a arte de nos fazer invisível, para que possamos viver a nossa maneira. Livres das obrigações que nos são impostas.

É o primeiro livro que leio deste autor e devo admitir, que se não o tivesse recebido da editora parceira para ser resenhado, talvez nunca me interessasse a ler. O que seria uma pena, pois o livro nos faz refletir e reavaliar nossos conceitos de vida.

Eu recomendo para aqueles leitores que procuram novas experiências literárias. Bjus






Um comentário:

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!