Lançamentos do Grupo Pensamento

Boa tarde!
hoje venho falar com vocês sobre os lançamentos do Grupo Editorial Pensamento.

CULTRIX


Cenário de Caos – livro de Bob Garfield traz um novo conceito de comunicação de marketing na era digital

Publicado pela Editora Cultrix, a obra revela a solução para todas as empresas que quiserem sobreviver na era digital e mostra como ser um agente de mudança.













Sinopse -



A mídia digital, cada vez mais, está conquistando espaço no mundo, desbancando as mídias tradicionais. Por conta disso, as empresas precisam estar atentas a este novo cenário e tentar se adaptar à Era Digital. Caso contrário, correm o risco de não existirem mais. Bob Garfield, editor da Advertising Age e coapresentador do programa de rádio “On the Media”, da NPR, sabe bem disso e ligou os pontos de uma realidade cuja existência muita gente do marketing e da mídia se negava a admitir. Todas essas descobertas são reveladas em seu livro Cenário de Caos, da Editora Cultrix.

Garfield não se limita a mostrar a desintegração da mídia e do marketing tradicionais, mas também apresenta soluções. O autor percorre cinco continentes em busca de respostas e suas viagens começam nas pastagens da Dinamarca e vão da Estônia à Austrália, de Israel à Inglaterra, de Montenegro ao Brasil, de Los Angeles, na Califórnia e a Conshohocken, na Filadélfia. “O livro viaja pelos cinco continentes numa busca por exemplos de adaptações a algo que representa, literalmente, uma nova era das realizações humanas”, comenta Bob Garfield.

Cenário de Caos fala sobre a reordenação histórica dos meios de comunicação do marketing e do comércio causada pela revolução da tecnologia digital. O autor revela no livro que a “Revolução Digital” não é apenas uma manchete de capa de revista. “É uma revolução de verdade, que produz mudanças revolucionárias, milhares ou milhões de vítimas e todo um novo modelo de vida”, alerta Bob Garfield.

Para saber mais sobre o Livro, clique aqui.

Sobre o autor: 

BOB GARFIELD, detentor de vários prêmios de jornalismo, é o mais destacado comentarista e analista de propaganda e marketing da atualidade. Há 25 anos, ele trabalha para a Advertising Age, onde sua coluna de crítica publicitária se tornou uma instituição, como a Cruz Vermelha ou a prisão de San Quentin. Bob é fundador e colaborador do Blog de Vigilância da Fundação Nieman de Jornalismo da Harvard University. Colaborou com a Washington Post Magazine, a Civilization e com a página de articulistas do USA Today. Também escreveu para o New York Times, para a Playboy, para a Sports Illustrated e para a Wired. Trabalhou como analista ao vivo na ABC, CBS, CNBC e na extinta FNN.
Já deu palestras e conferências em mais de 30 países, em lugares como o Kennedy Center, o Capitólio de Washington, a sede da ONU, o Museu Smithsonian, o cassino Circus Circus, o Grand Ole Opry, o Rainbow Room do Rockefeller Center e, como destaque, o motel Westward Ho! em Grand Forks, Dakota do Norte. Seu manifesto de 2003 sobre a publicidade, Os 10 Mandamentos da Propaganda, foi publicado em seis idiomas – em português, pela Editora Cultrix.

Site de Bob Garfield
PENSAMENTO














 Sinopse:

Drunvalo apresenta neste livro, técnicas que levam ao Espaço Sagrado do Coração. O autor se aprofunda ainda mais no potencial humano e no próprio processo da criação. Ele compartilha sua experiência pessoal de quase quarenta anos e mostra como atingir um estado de consciência pura, de modo que, finalmente, você possa concretizar na vida diária os sonhos do seu coração, ter uma vida bela e abundante e ascender a mundos mais elevados – resultados naturais da decisão de se viver no coração.    
 JANGADA

Autor questiona as verdades por trás dos muros do Vaticano em A Mentira Sagrada que chega ao Brasil pela Editora Jangada

Luis Miguel Rocha, primeiro autor português a entrar na lista dos mais vendidos do The New York Times escreveu o instigante thriller direto de seu aparelho celular, pelas ruas de Roma e do Vaticano.

Fato este que achei super interessante. Bem realista. Segue o livro...













Sinopse - 

Há quem considere a história uma sucessão de fatos mortos, perfeitamente orquestrados e sepultados na eternidade, cuja verdade consiste neste pressuposto inabalável. Mas será que a história de ontem não nos diz nada sobre os dias de hoje? Será que os fatos sucederam como nos contam os livros?

A Mentira Sagrada, novo livro do escritor Luis Miguel Rocha, publicado no Brasil pela Editora Jangada, alude à uma direção. Seja no sugestível título, seja nos questionamentos que suscita no leitor, a questão da verdade defendida pela Igreja Católica permeia esse moderno thriller que se passa em Roma e adentra nos meandros do vaticano em pleno século XXI.

A ideia segundo a qual quanto menos se sabe mais se crê, aparece indicada nas primeiras páginas do livro. O escritor lembra que antigamente, fenômenos da natureza comumente conhecidos e explicados hoje com a ajuda da ciência, como as trovoadas e terremotos, eram identificados como ira de Deus, ou um prenúncio do fim do mundo se estivéssemos falando de eclipses. Nesse sentido, o que não se explica materialmente eleva-se à um nível de compreensão metafísico, com estatuto próprio.

As regras deste universo, vale ressaltar, são criadas pelos próprios homens, assim como antes de serem padres, bispos e papas tratam-se de homens. Homens que fizeram a escolha de viver pela fé, em nome de Deus. Fé cega, questionadora ou condizente com interesses privados, mas que defende ideais sagrados. Ou seriam mentiras sagradas? Mas como comprovar a veracidade da fé? Teria a ciência capacidade de invadir seu território?

Isso o autor não pretende. O que pretende, a partir de extensa pesquisa e fontes sigilosas de dentro do Vaticano, é questionar o Jesus histórico. Questiona se Jesus foi mesmo crucificado; o papel dos Jesuítas na constituição da igreja; e se o papa é mesmo o homem mais poderoso da Igreja Católica; ao que responde de forma intrigante, mas elucidativa, fiel e também profana, em síntese, apaixonante.

Apaixonantes e odiosos são também os personagens, mas não de uma forma maniqueísta. Eles são odiosos e apaixonantes ao mesmo tempo, ou ao passo de alguns capítulos. Uma trama coberta de suspense, conflitos de interesse e um caso de amor proibido dão a tônica do enredo. 

Afinal, como diz o próprio Luis Miguel: “Meus livros são para serem lidos como ficção. Eu monto um espetáculo para que o leitor tenha prazer durante a leitura e, ao mesmo tempo, apreenda alguns dados históricos. Não é minha intenção converter ninguém. Se quisesse que os meus livros tivessem uma interpretação séria escreveria ensaios. Por outro lado, o José Rodrigues dos Santos, escritor e jornalista português que apresentou o meu livro em Lisboa, afirmou que em ficção se podem dizer mais verdades que em jornalismo. E, nesse ponto, concordo com ele. De qualquer maneira, o meu interesse é que o leitor desfrute do espetáculo que preparei para ele”.

Sobre o autor:

Luis Miguel Rocha nasceu no Porto em 1976 e dedica-se integralmente à escrita. A Mentira Sagrada é o mais recente livro do escritor que, em 2006, com  a publicação de O Último Papa,  tornou-se o primeiro autor portugues a ingressar na lista dos mais vendidos do jornal The New York Times. Em 2007, com o título Bala Santa, tornou a compor o ranking. Luis Miguel Rocha é também o primeiro escritor a escrever seus livros inteiramente em aparelhos celulares, porque, segundo ele, é a melhor maneira de agarrar as ideias.
Para saber mais sobre o autor visite o seu site.

O livro do Luis Miguel parece ser muito interessante.

Para saber mais sobre estes e demais lançamentos do Grupo, favor visitar o site aqui.

Espero que tenham gostado das novidades e deixem aqui seus comentários...
Bjus doces.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!