Resenha Amante Libertada (Lover Unleashed) - Universo dos Livros



Boa noite meus lindos,
nova resenha da série IAN para vocês.
Com vocês Payne...



Título: Amante Libertada
Coleção: Irmandade da adaga negra
Autor: J. R. Ward
Editora: Universo dos Livros
Idioma: Português
Edição: 1ª
Ano De Lançamento: 2012
Número de Páginas: 556
ISBN: 9788579303159

Sinopse -
Payne, irmã gêmea do guerreiro Vishous, é finalmente libertada de sua mãe (a Virgem Escriba) e se revelará uma lutadora por natureza, descobrindo sua verdadeira essência. Ao sofrer uma lesão que a paralisa, o cirurgião Manny Manello é chamado para curá-la. Embora nunca tenha acreditado em vampiros, ele será logo sugado para o secreto e perigoso mundo da Irmandade dos vampiros-assassinos e seduzido por esta misteriosa mulher que precisa salvar. À medida que Payne e Manny descobrem que têm mais do que uma ligação erótica, eles precisam enfrentar o choque entre os mundos e uma dívida de séculos atrás que será cobrada de Payne e colocará tanto seu amor como sua vida em perigo. Uma paixão arrebatadora que promete ser quente... Essa ligação erótica entre os dois universos poderá se concretizar?

Livro no Skoob.


Resenha - Por: Lia Christo



Amante Libertada é o nono livro da  muldialmente famosa série Irmandade da Adaga Negra, romance sobre vampiros  que já são best-sellers da autora JR Ward. 
Cada vez que um novo livro da série Black Dagger Brotherhood(IAN), está surgindo no horizonte eu já começo a ficar ansiosa e contando os dias para ler...


E outra vez JR Ward(Uau!) me deixa muito feliz com esta série de livros com apenas algumas decepções ocasionais. 
Os livros da IAN, são uma mistura viciante de romance, fantasia sombria e drama(espetacular, confuso e muitas vezes completamente um drama de relacionamentos over-the-top) do qual eu pessoalmente não consigo ter o suficiente. 
Se você ainda não leu nenhum dos livros desta série,  não se sinta tentada(o) a começar aqui, as relações e histórias são muito complicadas, para quem ainda não leu entender.
O ideal é ler os livros em ordem, começando com Amante Sombrio(confie em mim, se você estiver remotamente interessado em um  romance paranormal ou fantasia urbana você ficará muito feliz de começar).


Em teoria amante Libertada é a história de Payne, uma vampira ferida, e seu médico humano Manny Manello, os fãs da série  já estão cientes de que no livro anterior Payne foi revelada como sendo a irmã gêmea de Vishous. 
Uma irmã que ele nunca soube que existia e que só descobriu quando ela foi gravemente ferida e estava com a possibilidade de uma vida inteira de paralisia. 
A revelação de um irmão gêmeo escondido desde o nascimento, seria muito para qualquer um lidar e com Vishous não é diferente, e como ele já tem muitas questões mal resolvidas e difíceis em sua vida e surge mais essa isso parece ser a gota d'água que só poderia desestabilizar (bem como destruir seu relacionamento com sua companheira , Jane).
Então, na prática, Amante Libertada acaba por ser um conto de dois gêmeos e seus relacionamentos. No entanto, devido à presença esmagadora de Vishous a história acaba mais sobre Vishous e Jane tentando se entender de vez e consertar o que tem de errado em sua relação (literalmente) do que o amor de Payne e  Manny.


Para alguns fãs da série isto será um bônus - Vishous sempre teve um fã-clube grande e o final abrupto de sua história, em Amante Liberto, deixou um monte deles querendo saber mais sobre como seu relacionamento com um fantasma ia funcionar no dia-a-dia e como eles iriam trabalhar com os problemas (para não mencionar S & M do Vishous) deixados para trás pelo abuso que ele sofreu. Estas questões são respondidas neste livro. 


Vishous e Jane não tem o felizes para sempre, eles têm uma relação que precisa ser trabalhada, assim como na vida real. 
Ele tem um passado muito torturado e está lidando com ter Payne em sua vida e da ameaça de perdê-la. Tem havido alguma tensão no seu relacionamento com Jane, e, claro, os demônios de seu passado que continuam a atormentá-lo. Ele é muito apaixonado por Jane, mas se volta para seu melhor amigo Butch para obter ajuda. Butch e Vishous tiveram um relacionamento complicado no passado. O relacionamento deles vai muito além da amizade e isto é explorado em profundidade o que faz com que algumas, cenas sejam extremamente intensas emocionalmente. Os picos e vales emocionais que estavam faltando no relacionamento de Payne e Manny foram mais do que compensados na jornada de Vishous.
Como a maioria das pessoas, eu não gostei que a Jane tenha virado um fantasma, mas como uma heroína, eu sempre achei que ela estava bem. Os problemas entre Jane e V foram bastante comoventes e embora ela tenha mostrado algumas vulnerabilidades sérias, ela ao mesmo tempo se mostra forte e sensata e eu simplesmente adorei o que ela fez para o Vishous. (não posso dizer mais sem estragar)
Com Vishous roubando o centro das atenções quando o seu relacionamento com Butch é levado para um clima de superação e deixando assim seus leitores mais uma vez imaginando o que poderia ter sido entre eles. Embora eu sempre tenha sido do clube de fãs de Vishous, o resultado disso tudo para mim é que eu passei a gostar e compreender melhor o seu caráter, muito melhor do que antes de começar a ler Amante Libertada.


Amante Libertada pode ser um pouco decepcionante para os fãs inveterados de romance. Nem Manny e nem Payne tem a enorme presença que a maioria dos personagens anteriores tiveram em seus livros. Sua união não tinha os picos e vales emocionais que temos visto nos últimos relacionamentos românticos da série e foi apenas ok e bastante previsível. A química deles é um pouco abafada, e que só deixou sua relação proibida de  médico/paciente para fornecer um frisson de tensão romântica. 
Seus problemas difíceis de relações humanos/vampiros são convenientemente resolvidas e em nenhum momento eles geram tensão suficiente na trama para a gente sentir que isso não iria acontecer. 
Seu relacionamento é uma espécie de doce, mas nunca realmente puxa as cordas do coração, como os das histórias anteriores da série, como Amante Desperto ou Amante Eterno. O diálogo de  Payne é meio repetitivo. 
Eu tinha esperanças de que Payne fosse uma heroína bem forte. Ela é irmã gêmea de V, que é um guerreiro. Ela é supostamente uma máquina de combate hábil, mesmo quando ela está em grande perigo pessoal, ela é danada e sabe se defender. Eu queria mais ação com ela, mas isto não aconteceu e confesso que fiquei um pouquinho decepcionada.


O que achei interessante em  Amante Libertada foi a ausência dos redutores(ainda bem). Eles fazem uma aparição aqui e ali, mas eles não são os vilões dessa vez, em vez disso, você tem uma introdução ao Bando de Bastardos. Eles são criados para serem covardes(e vilões) porém eu acabei simpatizando um pouco com eles. Eles são uma ameaça do passado que a Irmandade está ciente e talvez sejam os novos caras ruins da série? Vamos ver.


Enquanto há uma abundância de novos personagens e enredos introduzidos dentro de Amante Libertada o que sem dúvida será explorado em futuros romances, há uma notável falta de desenvolvimento da relação do Blay/Qhuinn. 
Depois de passar um monte de páginas ansiosa para ver o desenrolar da relação deles, a Ward nos deixa em compasso de espera para o que irá acontecer com eles em um próximo livro. É como um avião circulando no aeroporto à espera de permissão para aterrissar - Eu estava esperando que eles tivessem mais espaço na trama,  mas com Vishous e Jane ocupando um grande pedaço da história isso não ocorreu, o que acabou sendo justo já que não teria tido espaço suficiente neste livro para fazer justiça ao enredo Blay/Qhiunn(Delícias que amo de paixão).   
O personagem mais angustiado deste livro é Qhuinn. Ele sente como se ele não pertencesse a lugar nenhum. A única vez que ele se sentiu inteiro foi quando ele e Blay eram amigos, e estavam sempre juntos. Agora que ele afastou Blay para longe dele, ele está apenas vivendo. 
E mesmo que ele chegue à conclusão de como Blay o faz se sentir, ele não pode tê-lo por causa das coisas que fez. 
Ele sofre em silêncio e bloqueia todas as formas de comunicação com Blay. Vai levar um tempo muito longo para os dois voltarem a falar um com o outro, ainda mais para estarem juntos dessa maneira que nós leitores queremos.


Eu realmente adorei o livro. Para mim, uma hiostória de vampiro não poderia ser melhor que isso. Pode ser porque eu gosto do jeito como a Ward faz com que o romance venha acompanhado com uma grande dose de ação e fantasia obscura, ao invés de corações ou flores. 
Pode ser porque eu estou viciada no drama. Pode ser que eu simplesmente amo o mundo IAN, com sua vibração entre os personagens, da vida deles, do perigo, tanto assim que eu ficaria feliz em ler qualquer história ambientada lá, seja ela romântica ou não. 
Fãs de romance podem não sentir o mesmo. 
Mas, esta é minha opinião ok? 
Eu recomendo este livro para todos que como eu amam histórias de vampiros e principalmente para aqueles que já são fãs da série!


Para saber mais sobre a autora visite J.R. Ward


Sobre a série -
A série internacional de vampiros a Irmandade da Adaga Negra, de J.R. Ward já conta com dez volumes e é um dos principais sucessos do gênero. Cada volume conta a história de um dos vampiros da Irmandade e sua luta pela sobrevivência e suas paixões arrebatadoras.
Certamente se você ainda não leu, irá se apaixonar pela série como milhares de fãs em todo o mundo. 



Abaixo uma fanart de Payne e Manny, que achei linda!


Crédito da imagem: Payneb do site Deviantart.
E para completar segue um vídeo que adorei!




Espero que tenham gostado e que deixem aqui seus comentários.
Bjus doces.





8 comentários:

  1. Tô com esse livro na mão pra ler a tradução oficial, mas até agora não comecei...
    Acho esse livro um dos menos interessantes da IAN (e mesmo assim é show!! com novos personagens, BDSM, Sequestro, revelações, ménage...).
    Esperava muito mais de Payne e Manny, mas como vc escreveu, as estórias ambientadas no universo da Irmandade sempre valem a pena!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei do livro, mas como falei também esperava mais dele... Mas, leia sim amiga, vale a pena!

    ResponderExcluir
  3. Liaa,amei a resenha,vc entendeu perfeitamnete a angústia que se sente o ler sobre o V.ainda mais eu,fanzoca húber dele,e a payne realmente não tem muito espaço,e a-d-o-r-e-i os bastardos!!!!!!! *o*

    ResponderExcluir
  4. Lia, adorei a resenha... e também a estória da Payne e Manny merecia mais... Acredito que seja a tradução, pois havia lido em e-book anteriormente e tinha mais intensidade nas cenas dos dois...
    Também não gostei da Jane ter virado fantasma, mas lendo os outros livros passei a entender a opção da Ward, que encontrou essa forma de os dois terem uma chance no romance, pois ele é imortal e ela humana, que envelhece e morre a qualquer momento. Sem contar a ajuda rápida que ela dá na procura do Manny, por ser fantasma e chegar nos lugares mais rápido.
    E Qhuinn e Blay... nossa, como queria mais encontros bombásticos desses dois guerreiros e não teve. Pelo jeito só em 2013 no livro deles.
    O jeito é esperar o próximo!!!!

    ResponderExcluir
  5. eu gostei do livro não como eu gostei de outros, mais para mim o livro é sobre o V eu sempre gostei dele mesmo antes de amente liberto acho ele de mais mais nesse eu queria mais da payne como você falo para mim ela é uma personagem forte.
    Quinn/Blay não vejo a hora de ver como vai ser o livro deles eu li love reborn e o Quinn esta simplesmente demais e como ela mesmo falo que o proximo livro eh deles estou mto ansiosa para ver mais no td gostei de amante libertada espero que nos proximos livros mostre um pouco mais da payne guerreira !!!


    adorei sua resenha e adorei o blog mto bom !!!!

    ResponderExcluir
  6. Lia vc como eu é suspeita para falar da Ian?kkkk pois a gente ama a serie!

    A resenha tá perfeita como sempre!s2

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lia!!!! Eu concordo com vc qdo diz q Amante Libertada foi outro livro do V, assim como, para mim, Amante Desperto tb foi um gde livro do meu Phury. Gemeos, são gemeos, estão intimamente interligados, não há como falar de um sem o outro. Eu gostei do romance do Manny e da Payne, acho q qdo vc lê com calma, saboreando a historia deles e sem se deixar envolver demais pela historia do V e da Jane, vc consegue se deixar tomar pelo amor dos dois. Acontece que o Vishous é tão intenso em seus sentimentos, que quase ofusca o amor de Payne e Manny, mas qdo vc le a cena do banheiro, mesmo a cena dela no colo dele no computador, ah, é muito lindo.........
    Adorei a resenha amiga!!!!! Ficou show!!!!!
    Bjoooooo

    ResponderExcluir
  8. Realmente Juliana, sou hiper suspeita quando se trata de IAN... kkkkk

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!