RESENHA - Orgulho e Preconceito - Jane Austen - Martin Claret


Boa tarde meus leitores!
Hoje vou falar para vocês, sobre um dos maiores clássicos da literatura. Um livro que atravessa a barreira do tempo e que não importa a época, ou o lugar, sempre que é lido nos faz sonhar e suspirar, com a importância do amor em nossas vidas.
Eu amo este livro porque eu amo os personagens. Alguns deles, realmente mexeram com meus nervos, mas eu ainda amo a forma como eles são tão bem escritos.
Vou falar para vocês sobre Orgulho e Preconceito de Jane Austen.



Sinopse -
A obra literária de Jane Austen deu ao romance inglês o primeiro impulso para a modernidade, ao tratar do cotidiano de pessoas comuns. De aguda percepção psicológica, seu estilo destila sempre uma ironia sutil, dissimulada pela leveza da narrativa.Orgulho e Preconceito (1797) é a obra mais conhecida da autora. Jane Austen mostrou como o amor entre os protagonistas era capaz de superar barreiras de orgulho e preconceito, a diferença social entre eles e o escasso poder de decisão concedido à mulher na sociedade da época.A crítica veio a considerá-la a primeira romancista moderna da literatura inglesa.

Para saber mais sobre o livro: MARTIN CLARET - FACEBOOK - SKOOB
Para comprar acesse: MARTIN CLARET.


Algumas curiosidades sobre a obra:

Apesar de a história se ambientar no século XIX, tem exercido fascínio mesmo nos leitores modernos, continuando no topo da lista dos livros preferidos e sob a consideração da crítica literária.

O interesse atual é resultado de um grande número de adaptações e até de pretensas imitações dos temas e personagens abordados por Austen.
Atualmente, acredita-se que o livro tenha cerca de 20 milhões de cópias ao redor do mundo

Jane Austen completou o primeiro rascunho do romance, quando ela tinha apenas 21 anos, e sua juventude, inteligência e vitalidade saltam de cada página.

Escrito como First Impressions (e rejeitado para publicação), em 1797. Reescrito e publicado anonimamente para a aclamação da crítica em 1813, quando Austen tinha 38 anos.

Cópias vendidas: Mais de 20 milhões.

Foram 06 adaptações para filmes: Incluindo Keira Knightley e Matthew Macfadyen (2005) e Garson e Laurence Olivier Greer (1940).

Foram 07 adaptações para séries e Minisséries: Sendo que a mais conhecida das sete minisséries de TV, é estrelada por Colin Firth e Jennifer Ehle (1995).


Sobre a autora:

Jane Austen nasceu em 16 de dezembro de 1775, em Steventon, Hampshire, Inglaterra, sendo a sétima filha do reverendo George Austen, o pároco anglicano local, e de sua esposa Cassandra (cujo nome de solteira era Leigh). O reverendo Austen era uma espécie de tutor, e suplementava os ganhos familiares dando aulas particulares a alunos que residiam em sua casa. A família era formada por oito irmãos, sendo Jane e sua irmã mais velha, Cassandra, as únicas mulheres. Cassandra e Jane eram confidentes, e hoje se conhece uma série de cartas de sua correspondência.É considerada a maior escritora de todos os tempos, de acordo com sua jornada de vida que arrasta milhões de fãs por todo o mundo e encanta a todos com sua literatura épica.

Para saber mais sobre a autora: WIKIPEDIA - FACEBOOK - SKOOB




Resenha - Por: Lia Chrsito

Orgulho e Preconceito, um clássico para toda a vida.
Uma versão mais inteligente, mais engraçada e muito mais emocionante do que qualquer romance que você já tenha lido. E é incrível, quando lembramos que no próximo ano, comemora-se o seu aniversário de 200 anos da publicação.


A história mostra a maneira com que a personagem Elizabeth Bennet lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. 

Na Inglaterra rural vivem as cinco irmãs Bennet. Vivazes, alegres, cuja mãe é comicamente desesperada para conseguir  casar suas filhas, especialmente com Elizabeth que é a segunda de 5 filhas de um proprietário rural na cidade fictícia de Meryton, em Hertfordshire, não muito longe de Londres. Uma jovem espirituosa, independente e bem a frente de seu tempo. Favorita de seu pai, e não sendo tão bonita e nem tão dócil, quanto a sua irmã mais velha, é a constante preocupação de sua mãe. Lizzy recusa a se casar até que ela esteja verdadeiramente apaixonada.

Não que, ela não tenha muitos pretendentes. Primeiro, há o Sr. Collins, um clérigo pomposo, primo de seu pai e herdeiro, já que naquela época as mulheres, não podiam receber a herança. Elizabeth é firme em suas convicções e rejeita a proposta de casamento, deixando o mesmo ainda mais decidido a ir atrás dela. 
Há também George Wickham, um charmoso oficial da milícia, um rapaz belo e extravagante que pode não ser o que parece. 

Até que ela conhece Fitzwilliam Darcy, que lhe é apresentado durante um baile. Elizabeth fica extremamente impressionada com seu jeito arrogante e sua maneira de se portar. Até que ao convida-lo para dançar, ele a recusa e depois ela acaba ouvindo ele comentar sobre ela com seu amigo Charles Bingley a seguinte frase: "Ela é tolerável, mas não suficientemente bonita para me tentar", uma observação que deixa a jovem Elizabeth, muito chateada. Ela descarta Darcy como indizivelmente arrogante, uma hipótese confirmada por boatos. 

O tempo passa e eles acabam se encontrando em outras reuniões não planejadas, e o seu ressentimento, começa a tomar grandes proporções, fazendo que sempre que se encontrem acabem se aborrecendo um com o outro. Há sempre muita tensão, quando os dois estão juntos.

Personagens:

Elizabeth é a minha favorita, porque ela é tão independente, teimosa e franca. Ela se recusa a casar-se por qualquer outra razão que o amor, mesmo que isso signifique que ela não acabe se casando com alguém que possa dar-lhe um melhor estado econômico e social. 
Ela tem seus defeitos, mas ela não tem medo de admitir eles, quando ela sabe que está errada. 

Sua mãe e duas de suas irmãs mais novas a irritam tanto, quanto elas me incomodam, e ela não pode suportar as irmã do Sr. Bingley, a quem eu desprezo toda vez que eu leio o livro. 
É evidente desde o primeiro capítulo, que Elizabeth puxou ao seu pai, que também é teimoso e franco. Ele gosta de colocar sua esposa irritante em seu lugar, mas ele faz isso de uma maneira muito bem-humorada sem ser muito desagradável. 
Eu sempre dou boas risadas, a cada vez que eu leio Orgulho e Preconceito, e a maioria desses risos são cortesia do Sr. Bennet. 

A Sra. Bennet me irrita profundamente e eu me vejo de forma audível dizendo a ela para calar a boca ao longo do livro. Evito pessoas como a irmã de Bingley, como se evitasse a peste na vida real. As pessoas que pensam que são melhores que todos os outros por causa de dinheiro ou status social, como as irmãs de Bingley e Lady Catherine (tia do Sr. Darcy), apenas me dá nojo. 

O Sr. Collins poderia usar um bom pedaço de fita adesiva sobre sua boca, bem como, uma vez que ele realmente se faz parecer um idiota a cada vez que ele fala. 

Finalmente, o Sr. Darcy que é irritante e cativante ao mesmo tempo. Um personagem masculino inigualável. E depois que o conhecemos, não conseguimos mais parar de suspirar e desejar ter um Mr. Darcy só para nós.
Elizabeth e também alguns outros personagens devem lutar, para se livrarem de um grande orgulho que os faz se apegar a preconceitos de longa data, mas possivelmente infundados. 

Durante a trama são observados várias satíras de Austen sobre a hipocrisia de restrições sociais e distinções de classe. 

Este é o melhor livro para ilustrar o efeito negativo, que o orgulho e o preconceito teem quando se trata das relações entre as pessoas, e combina o conhecimento da vida com um enredo dinâmico.

Se você gosta de uma boa literatura clássica, uma boa história de amor e personagens divertidos, você vai gostar de ler Orgulho e Preconceito . 
Bjus







21 comentários:

  1. Amo esse livro!!!!! Ele tem tudo que uma mulher romântica sonha, uma personagem feminina com personalidade, um sapo que vira um príncipe no final. Perfeito!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Tive uma grata surpresa quando vi que seu blog tinha feito a resenha desse livro.Primeiramente porque esta historia me fascina desde a primeira vez em que tive contato,diria que mesmo agora ainda me sinto fascinada cada vez que escuto os nomes e relembro da historia!!Nesses momentos é que você percebe a força que tem uma historia bem escrita.Eu simplesmente viajo quando estou me aventurando junto com a orgulhosa Elizabeth e seu universo e com o preconceituoso Darcy que tanto me faz suspirar por ai!!!Ahhh Lia como não agradecer pelas lindas palavras que dedicou a este livro,você capturou a essência que eu enxergo neste livro.Eu concordo quando ao Sr.collins porque ele fala tanto..ele me irrita.Jane Austen é uma diva que merece todo reconhecimento que lhe foi dedicado a cada pessoa que abre a primeira pagina de um dos seus livros, suspira e se derrete ate o fim.

    ResponderExcluir
  3. Oi Renata, eu tbm amo Orgulho e Preconceito. É o meu livro preferido!

    ResponderExcluir
  4. Elisângela, muito obrigado por seu comentário, e fiquei muito feliz por vc ter gostado da resenha. Eu amo este livro e seus personagens são inesquecíveis. Bjus

    ResponderExcluir
  5. Amo Jane Austen! Orgulho e Preconceito é o meu favorito junto de Persuasão!! Jane Auste é diva! Um marco na sua época!

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabi, obrigado por sua visita. E vlw pelos comentários.

    ResponderExcluir
  7. Ah, minha ídola maior!!
    O que seria de mim sem a Jane??
    Ao lado de Alexandre Dumas e Louisa May Alcott me fizeram - e fazem - sonhar muito!
    Adorei seu post!!
    Nossa, já perdi as contas em que vi o filme, que apesar de não ser fidedigno ao livro, traz um perfeito Mr. Darcy, não é? **o**
    Beijokonas Lia!

    ResponderExcluir
  8. Oi Roxane, vlw pela visita e obrigado por seus comentários. Bjus

    ResponderExcluir
  9. janne austen gostei muito de orgulho e preconceito, essas divas do séc XIX , Charlote, Emily Bronte, sabiam escrever. A adaptação para o cinema não deixou nada a desejar. Gostei da resenha Lia, bjão flor

    ResponderExcluir
  10. Oi Lia!
    Assisti a todos os filmes inspirados na obra de Jane Austen, e amo a história de Orgulho e Preconceito, embora ainda não tenha lido o livro, pretendo corrigir essa falta com certeza.
    Parabéns pela resenha e pela postagem super completa.
    Beijos... Elis Culceag.
    www.arquivopassional.com

    ResponderExcluir
  11. Sou louca pra ver o filme, mas nunca acho na locadora. Agora, depois de ler sua resenha vou ter que ler o livro. Uma resenha feita por quem ama o livro que está resenhando é uma coisa deliciosa de se ler. bjs
    Eykler
    www.aghridoce.blogspot.com.r

    ResponderExcluir
  12. É sem dúvida o meu livro preferido... como não amar Elizabeth e Mr. Darcy? Não é a toa que até hoje o livro continua encantando tanta gente...
    Também gosto muito da adaptação de 2005.

    beijos,

    ResponderExcluir
  13. Menina!!! 200 anos... isso tudo?!
    Caramba.. o legal é fazer sucesso até hoje..
    O que eu conheco deste livro é só o que vi
    no filme, então não tenho base pra falar nada..
    Mais lendo sua resenha me deu uma vontade
    louca de ler... Não terá promoção no blog?
    hehehe
    Homens arrogantes acabam se dando mal no
    final... despreza uma hora e depois corre atras..
    E o que ela ouviu dele não foi legal..
    Não leio literatura clássica, mais to doida pra começar
    a ler..
    Tb quero muito ler Jane Auten

    beijos
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Eu amo o livro,o filme a autora,os personagens...

    adorei a resenha e Jane Austen é sempre atual,nunca fica velho!!!

    amei as imagens!!

    bjsss

    Bianca

    www.apaixonadasporlivros.com.br

    ResponderExcluir
  15. Cara, o que posso dizer de Orgulho & Preconceito? Eu adoro! O senhor Darcy é com certeza um dos personagens masculinos que eu mais adoro na literatura. Não tem como não se apaixonar por ele... Jane é maravilhosa. Toda romântica deveria ler pelo menos uma obra sua, para entender como a rainha dos clássicos lidava com os relacionamentos. Suas protagonistas nunca são lindas de morrer, o que nos faz gostar ainda mais delas... BJS Lia! Amei a resenha!

    ResponderExcluir
  16. Acredita que eu ainda não li esse livro?
    Já vi o filme mil vezes e ele é um dos meus favoritos...

    Bjks

    ResponderExcluir
  17. Eu adoro o livro Orgulho e Preconceito. Esse é o tipo e livro que deveria ser lido por todos. E o filme tb é muito bom, coisa que nem sempre acontece quando obras literárias são levadas para a telona.
    bjs

    ResponderExcluir
  18. Assisti o filme no sábado e adorei. Com certeza o livro é mil vezes melhor. Vou colocá-lo na minha lista.

    ResponderExcluir
  19. Leia sim Dany Reis, tenho certeza que você vai adorar o livro. Bjus

    ResponderExcluir
  20. Acredita que esse livro chegou pra mim hoje!? É, mas chegou naquele combo de Persuassão + Orgulho e preconceito + Razão e sensibilidade. Já vi o filme, mas não li o livro, vou ler o livro pra relembrar a história e ver o filme pra ver as adaptações e tals.
    http://leituramagnifica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Com certeza você irá adorar as três histórias, e depois passe por aqui e nos conte o que achou. Bjus

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!