[RESENHA] Ligeiramente Malicosos - Os Bedwyns 2 - Mary Balogh - Editora Arqueiro


Bom dia leitores!

Mais uma resenha chegando pra vocês!
Hoje vou compartilhar minhas impressões sobre um romance de época, cuja personagem feminina conquistou minha afeição...


LIGEIRAMENTE MALICIOSOS

Ficha Técnica:
Título Original Slightly Wicked
Tradução Ana Rodrigues
Páginas 288
Lançamento 06/04/2015
ISBN 9788580413939
EAN 9788580413939
Preço R$ 29,90
Preço E-Book R$ 19,90

Sinopse:
Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima. Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor. Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith. Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora? Neste segundo livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos conquista com mais um capítulo dessa família que, em meio ao deslumbramento da alta sociedade, busca sempre o amor verdadeiro.
LEIA UM TRECHO.


CAPA ORIGINAL

A SÉRIE

Estes livros contam a história de seis irmãos, liderados pelo poderoso e friamente disciplinado Wulfric Bedwyn, duque de Bewcastle. A história de Aidan é contada em Ligeiramente Casados, Rannulf em Ligeiramente Maliciosos, Freyja em Ligeiramente Escandalosos, Morgan em Ligeiramente Tentados, Alleyne em Ligeiramente Pecaminosos, e de Wulfric em Ligeiramente Perigosos. Os Bedwyn apareceram pela primeira vez em um verão inesquecível.
Fonte: Site de Mary Balogh.


MARY BALOGH


Mary Balogh nasceu e foi criada no País de Gales. Ainda jovem, se mudou para o Canadá, onde planejava passar dois anos trabalhando como professora. Porém ela se apaixonou, casou e criou raízes definitivas do outro lado do Atlântico. Sempre sonhou ser escritora e tinha certeza de que, no dia em que escrevesse um livro, ele seria ambientado na Inglaterra do Período da Regência. Quando sua filha mais nova tinha 6 anos, Mary finalmente encontrou tempo para se dedicar ao antigo sonho. Depois de três meses escrevendo na mesa da cozinha, a primeira versão de sua obra de estreia estava pronta. Publicada em 1985, deu a Mary o prêmio da Romantic Times de autora revelação na categoria Período da Regência. Em 1988, depois de vinte anos de magistério, ela passou a se dedicar apenas aos livros. Hoje Mary Balogh é presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times e vencedora de diversos prêmios literários.


Ligeiramente Maliciosos, é o segundo livro da série Os Bedwyns e nele encontramos a história de Rannulf Bedwyn e Judith Law.

Rannulf é um jovem entediado com a vida, sem grandes ambições e sem vontade nenhuma de se casar, nem mesmo para agradar sua avó de quem ele herdará todos os bens. É um dos irmãos do Duque de Bewcastle, tendo assim grande poder e facilidades para ter aquilo que deseja. Apesar de não poder ser considerado um homem lindo, tem lá seus pontos fortes, como a altura, o físico, os olhos azuis, e os cabelos mais longos do que se usava na época. Um homem charmoso, aventureiro e que tem um grande prazer em se envolver com beldades dispostas a se divertir...

Judith Law, é filha de um páraco, vive de uma forma modesta junto a seus pais e mais três irmãs, e ainda tem um irmão que vive em Londres, simplesmente curtindo a vida e torrando todo o dinheiro da família, o típico jovem inconsequente. Por conta das extravagâncias do irmão, o pai de Judith, se vê obrigado a pedir ajuda a sua irmã para aliviar sua situação financeira. Em troca desta ajuda ela pede a ele que envie uma de suas filhas para servir de dama de companhia para a avó. Judith resolve se oferecer já que em sua cabeça, e induzida pelos pais, se acha feia, desprovida de dotes que possam atrair um casamento, e sempre pensa em si mesma de uma forma distorcida, já que tem baixa auto-estima.

É durante a viagem para a casa de sua tia, que o destino destes dois irá se cruzar e a partir daí estarão para sempre entrelaçados.

Na visão de Judith, a partir do momento em que ela chegasse a casa de sua tia Effingham, sua vida se tornaria monótona, sem perspectivas, sem amor, de muito trabalho e nenhuma alegria ou possibilidade de um dia ter algo seu... Não via em seu futuro nenhum casamento, filhos, nada que pudesse lhe trazer felicidade.

A diligência em que está viajando sofre um acidente, e apesar de nenhum dos passageiros ter se machucado gravemente, a situação não é nada boa para eles. Estão sem possibilidades de seguir viagem, e um temporal se anuncia. Por isso ao avistarem um cavaleiro solitário vindo em sua direção todos se animam com a possibilidade de receberem ajuda. Para Judith a aparição de Rannulf é como um novo recomeço, uma possibilidade de fazer algo completamente inovador e ter uma experiência que ela possa guardar para sempre em sua mente. Uma lembrança que lhe faça companhia em seu futuro desolador. Judith decide que ela vai ter uma memória, uma noite de paixão sem compromisso com seu herói, mas para isso ela usa um pseudônimo(Claire Campbell).

Rannulf Bedwyn está viajando para Leicestershire, em resposta a uma intimação de sua avó, que o nomeou anteriormente herdeiro de suas propriedades e fortuna. Ele ama sua avó, mas sabe que ele vai ter que lutar muito para se desviar das suas tentativas habituais para lembrá-lo de sua responsabilidade em relação a família e ao casamento. Durante sua viagem a cavalo, ele se depara com os passageiros de uma carruagem que capotou e fica conhecendo Claire Campbell(Judith), uma atriz que está viajando para York. Através de uma série de eventos convenientes, ela concorda em acompanhá-lo para a próxima aldeia, e também concorda em dividir o quarto com ele em uma pousada isolada onde eles vão desfrutar de dois dias e noites de romance e prazeres.

Pouco tempo depois, Judith chega na propriedade de sua tia, mas para seu horror ela descobre que o pretendente de sua prima, é ninguém menos que seu companheiro de aventura. Ele está fazendo a corte a Julianne Effingham, prima de Judith.
Assim que Rannulf reconhece Judith como sendo a mulher que ele encontrou na estrada e que o largou sem se despedir dele, ele sabe que está cortejando a parente errada, mas ele tem que resolver em sua cabeça os sentimentos que estão desordenados, e tentar convencer Judith que eles pertencem um ao outro.

Apesar de Ligeiramente Maliciosos usar uma noite de paixão perfeita como parte de um encontro inicial , este livro também nos mostra que a força dos sentimentos despertados nesta noite só precisam de uma chance para desabrochar.

A partir do momento em que eles se reencontram, vários acontecimentos ocorrem para  mantê-los afastados, causar dúvidas em suas mentes, e para dificultar ainda mais a possibilidade de dois jovens de classes sociais tão diferentes ficarem juntos.

Judith e Rannulf devem encontrar uma maneira de contornar os problemas e chegar à verdade sobre o amor que sentem um pelo outro.


Eu não gostei muito do primeiro livro da série (Ligeiramente Casados), não consegui me conectar aos personagens principais e a história me pareceu insípida, sem graça. Talvez fosse o meu momento, ou talvez a escrita da autora que não tenha me fisgado, vai saber... Mesmo assim eu queria muito ler este segundo livro, para ver se a série iria engrenar para mim. Posso dizer que com certeza estarei caminhando para a leitura do terceiro livro assim que ele for lançado por aqui, já que este livro conseguiu me agradar mais que o outro.

A personagem Judith, me ganhou logo nas primeiras páginas, e lorde Rannulf, também soube fazer a sua parte. Ao contrário do primeiro livro, gostei muito dos personagens, me afeiçoei a eles, e gostei da maneira como o romance se desenrolou desta vez.

Um romance que fala sobre a importância dos valores familiares, do perdão, da superação, do amor, e da bondade que se pode encontrar mesmo em lugares inesperados.

"Os olhos dela estavam marejados de novo, tornando-os mais verdes do que nunca. O espectador em Rannulf ficou impressionado ao se ver ajoelhar-se sobre um dos joelhos, na relva, diante de Judith, enquanto pegava a outra mão dela.
- Judith - disse ele, levantando os olhos para o rosto assustado e surpreso dela -, você me daria a grande honra de se casar comigo? Faço esse pedido com apenas uma única razão em mente. Porque a adoro, meu amor, e não consigo imaginar felicidade maior do que passar o resto de minha fica fazendo você feliz e compartilhando companheirismo, amor e paixão com você. Vai se casar comigo?"

A diagramação, revisão, e demais itens da publicação foram satisfatórios pra mim. A capa está belíssima. Mais um belo trabalho por parte da editora Arqueiro.

Ligeiramente Maliciosos, vai deixar os leitores entretidos com um delicioso romance regência. A chave para essa trama agradável são os personagens principais, que mesmo quando tentam fazer a coisa certa para todos, também querem agradar a si mesmos. Este conflito junto a seus esforços nobres, acabam por nos proporcionar uma agradável leitura.
Bjus

18 comentários:

  1. Oi Lia,
    ainda não li o primeiro e nem o segundo rs
    Mas uma amiga que sempre me indica livros mandou eu ler, mandou mesmo!! Então vou ler e espero gostar do primeiro *--*
    Parabéns pela resenha
    beijos
    conchegodasletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daya, tudo bem?
      Eu sou suspeita flor, porque adoro romances de época.
      Bjus

      Excluir
  2. Oi Lia!
    Sempre fico com o pé atrás quando se trata de estórias de época.
    Mas por outro lado, sempre leio resenhas positivas desses livros. Esse segundo também me chamou mais atenção do que o primeiro.

    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raíssa, tudo bem?
      Eu sou suspeita porque amo romances de época e históricos. São minha leitura preferida!
      Se tiver oportunidade dê uma chance.
      Bjus

      Excluir
  3. Olá, eu não conhecia o livro!
    Achei a capa original mais bonita, hihih
    Gostei da resenha, mas não faz muito meu gênero.

    http://blogexplicita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rebeca, tudo bem?
      A capa original é bonita mesmo!
      Bjus

      Excluir
  4. pode surtar agora ou daqui a pouco?
    sou apaixonada por estes romances de época e ja faz um tempo que acompanho o trabalho da Mary no face, com as multiplas divulgações! Estou conhecendo uma nova forma de escrever romance de época que esta me encantando! Mary tem um jeito especial de escrever
    ja apaixonada
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaila, realmente a Mary tem um jeito bem diferente de escrever, e estou demorando um pouco para entrar no ritmo dela, mas as leitores estão gostando. Se tiver oportunidade confira.
      Bjus

      Excluir
  5. Olá,
    Eu não conhecia o livro,pois estou numa ressaca literária horrível.Contudo,eu gostei muito da resenha e fiquei curiosa para ler.
    Beijos!
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sílvia, ressaca literária é péssimo... Ainda mais para nós blogueiras...
      Espero que passe logo e você volte a ler bastante.
      Obrigada pela visita e comentário.
      Bjus

      Excluir
  6. Oi Lia!
    Estou iniciando a leitura desse livro, estou no capítulo 5. Até agora, estou gostando do casal, e estou prevendo muita confusão \o/
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    Viu, depois me passa o seu endereço completo por email para que eu possa mandar o livro que você ganhou no blog \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla, este casal me agradou muito. Eles conseguiram me conquistar...
      Espero que goste do livro. Aguardarei sua resenha para saber sua opinião.
      Bjus

      Menina do céu... Nem vi que ganhei... kkkkk
      Correndo lá.

      Excluir
  7. Oi Lia, eu li esse livro tão rápido que as vezes eu acho que deveria ter digerido mais um pouco. Assim como você também fui cativada pela Judith, mas em alguns momentos achei ela muito ingênua a ponto de me deixar irritada. Mas gostei muito do romance dos dois, realmente me pareceu melhor que o romance de Ligeiramente Casados que me pareceu muito forçado e pouco envolvente, ainda mais com aquele espírito de puritana da menina que eu nem me lembro mais o nome. Até agora estou mais ansiosa pelo Ligeiramente escandalosos, adorei a Freyja desde o primeiro instante e me sensibilizei com a rejeição dela, estou curiosa.
    Gostei da resenha! Abraços :D

    http://www.rascunhocomcafe.com/2015/05/a-herdeiraseja-arrebatado-por-eadlyn.html#.VWS3YCvF_m8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara, também queria ter saboreado mais o livro, mas com tantas leituras, tem que ser corrido mesmo... kkkk
      Gostei muito da personalidade da Judith, e como você acho que o livro da Freyja tem tudo para ser um dos melhores da série.
      Bjus

      Excluir
  8. Lia, minha amiga, eu ando tomando um porre de históricos! kkkkkkkkkk
    Amei Maliciosos! E amei tb os títulos da Madeline Hunter, meu problema anda com os da Lisa Kleypas, meu coração não anda suportando as páginas, será que tem solução? Adorei sua resenha!! Judith é ótima, mas vc a vê meio sem graça nas primeiras páginas. Muito sonhadora e tals, mas ela ganha corpo e firmeza. Eu amei muito! Beijokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rox, sua linda! Tudo bem?
      Judith vai nos ganhando aos poucos, e este segundo livro está bem mais cativante que o primeiro. Também gostei muito.
      Bjus

      Excluir
  9. Adorei a resenha. Não sou muito fã de romances de época, mas esse até me interessou bastante. Adoro essas mentirinhas que as pessoas contam e depois se deparam com a verdade e não sabem como agir. Achei a Julianne bem determinada e independente e nossa, ela teve que sacrificar boa parte da vida, morando com pessoas mesquinhas, para não ver sua família sofrer. Já o Rannulf parece ser realmente apaixonante. Adoro os títulos dessa série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Clarice!
      Estou adorando sua interação aqui no blog.
      Vlw mesmo pelas visitas, comentários e pela força...
      Bjus

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!