Amante Revelado - (LOVER REVEALED ) - Universo dos Livros



Coleção: IRMANDADE DA ADAGA NEGRA
Autor: J. R. WARD
Assunto: LITERATURA ESTRANGEIRA - TERROR E SOBRENATURAL
ISBN:  978-85-7930-160-5
Idioma: Livro em português
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2011
Número de páginas: 496

Sinopse - 

Butch O’Neal é um lutador por natureza. Ex-policial da divisão de homicídios, durão, ele é o único humano que já foi admitido no círculo da Irmandade da Adaga Negra. E deseja mergulhar ainda mais fundo no mundo dos vampiros, na guerra contra os redutores. Não tem nada a perder. Seu coração pertence a uma vampira, uma beldade aristocrática inatingível para ele. Se não pode ter Marissa, então, pelo menos, quer lutar lado a lado com os Irmãos.
O destino o amaldiçoa realizando precisamente o seu desejo. Quando Butch se sacrifica para salvar um vampiro dos assassinos, cai vítima da força mais sinistra dessa guerra. Deixado para morrer, é encontrado por um milagre, e a Irmandade recorre a Marissa para trazê-lo de volta. Mas, mesmo o seu amor pode não ser suficiente para salvá-lo…

Resenha - por: Lucy Vargas(Alquimia dos Romances)

Butch Tomou Chá de Paciência Quando Era Neném

Acho que além de apanhar do pai, Butch também foi obrigado a tomar o chá amargo da paciência. Não é possível...

O livro começa com o pobre do tira se embebedando no ZeroSum, adivinhem por que... Marissa, mais conhecida entre nós como Chatissa. E alguns outros probleminhas dele também. Depois vem um pedação da chata se lamentando, sofrendo, oh que dó. Daí em diante é só a derradeira para o Butch que passa por maus bocados nas mãos dos redutores. E só mesmo o V para salvá–lo.

Cara, eu gosto do Butch. Ele é um cara maneiro, leal, valente, corajoso, cheio de problemas no passado que refletem nele o tempo inteiro. Ele tem suas neuras, seus complexos e toda aquela questão de se achar inadequado, uma droga de pessoa. Indigno até de amar a Marissa, que é “o melhor da raça vampira”. E ele é um personagem forte, ele quer lutar, na verdade, luta desde sempre, quer fazer parte daquela instituição que é a Irmandade, mas não pode. Até a polícia que era o único propósito que ele tinha, apesar de não lhe fazer bem algum, o descartou. O tira nunca teve mole na vida, tudo foi sempre uma droga, mas o cara continua aí, se ferrando e sobrevivendo. Então, sim, Butch é tudo isso! Como se diz no mundo da Irmandade, ele é um macho de valor.

E Butch é hot, amigo! Tira danado! Mesmo com a Marissa empatando as paradas, ele ainda consegue “aparecer”. E a história de vida dele é F. Quando ele desata a contar, você começa a realmente entende–lo.

A Marissa é uma chata. Uma vampira com mais de 300 anos que parece uma criança porre. Ela tem lá seus momentos de fortalecimento interno depois que é expulsa de casa. Em minha opinião o Havers só fez o bem em mandar a irmã passear, mesmo que por motivos tão fúteis. Ela finalmente acordou pra vida. Mas aquelas idiotices do relacionamento dela com o Butch são difíceis de engolir. Porque o livro dele, no caso a parte romântica, só aconteceu devido a mistura de babaquices entre eles nos livros anteriores. Butch parte pra cima, todo machão, mesmo humano e a Marissa... bah! Ela só começa a merecer o Butch lá pro final do livro, quando cresce. Mesmo assim, é egoísta. Ela esteve a ponto de arruinar a vida do cara por só pensar nela, nos medos dela. Depois que ela ficou independentezinha, arrumou sua vida, queria o que? Que o Butch fique em casa, vendo os Irmãos saírem pra lutar, voltarem feridos, os vampiros civis sendo mortos e ele assistindo TV? Claro que sim, porque a Marissinha tava com medo! Buaa!

O período que Butch passa no hospital não é chato, rola toda uma interação, o sofrimento do cara com o mal crescendo dentro dele, V vindo todo dia curá-lo e a Marissa... Bem, não vou fazer spoiler. Mas V vê algo que inferniza sua mente o livro inteiro e ele se sente tão culpado por isso quanto fascinado (com inveja também).

Enfim, o livro é bom. Afinal, é a Irmandade, mas tem suas considerações. As partes do John não são todas chatas, só algumas. As melhores obviamente são quando tem outras pessoas envolvidas além de todo o dramalhão do John. A parte que o Z persegue a Bella pela casa... Eu adoooro! Especialmente quando ela volta com a marca da mordida e Z solto pela casa com seus “rosnados eróticos”. Ui! John com a Layla também é engraçado e o pobre do Blay sendo obrigado a contar suas intimidades. Adoro quando o Blay volta pra aula depois da transição. Quando o pequenino John da uma de machinho, quebra a cara do nojento do Lash e ainda se mete em confusão com o Wrath, é muito bom.

As partes dos redutores, sabemos que de 10 partes umas 6 a gente pode pular! Não pulo, infelizmente, mas dá vontade. Mas até que o Sr. X e o Van deram algum interesse, gostaria até que ambos tivessem vivido mais para aparecer em outros livros que os redutores ficam mais tediosos.

E Marissa que só se mete com macho que não combina com ela. Chata daquele jeito, ela nunca poderia mesmo ter conseguido conquistar o Wrath. (Mas confesso que no 1° livro fiquei com pena dela por ter sido desprezada todo esse tempo). Butch, pra mim também não era o par ideal. Mas creio que ele era o único que teria saco para aguentá-la. E o Rehvenge, cara! Ainda bem que ele se livrou dela, nada haver. Ela nunca aguentaria a verdade sobre ele, com certeza ia cortar os pulsos com faquinha de rocambole. Pra quem já leu a história do Reverendo sabe que a parada é dura!

Agora, esse livro guarda algumas das cenas da Irmandade que eu amo! Sempre me lembro delas. Algo que eu me divirto muito e aparece nos outros livros, mas muda especialmente a partir desse é a descrição da posição dos Irmãos dentro do escritório do Rei. Z perto da janela e da lareira, sempre no canto ou atrás da poltrona do Phury. Rhage que é mega pesado na poltrona feia do Thor (não nesse livro ainda) e o sofá que é reforçado pra aguentar o peso pesado do Butch e do V que sempre sentam juntos. A cadeira de mocinha na qual o Wrath senta também é um barato.

Mas uma das cenas que adoro... A transição do Butch... A Beth precisa se envolver (não vou entrar em detalhes! Quem já leu sabe, quem não leu, corre pra ler!). E o Wrath fica doidoooo! Menina, eu adoro! V e Marissa o segurando, ele pronto pra matar e depois “vou pra cima de você, não posso me controlar”. Aiii como adoro esses machos vampiros possessivos.

E o que é aquela cena da parva da Marissa causando uma explosão de vestidos? Que porcaria tinha naqueles vestidos? Tecido de pólvora? Que isso, produção? Pode isso? Quem foi que explodiu os vestidos?

V tendo um colapso também é sinistro pra caramba, o cara passa o livro todo perturbadão e obviamente tinha que dar M!

Pra não dizer que só impliquei, como eu disse antes, no final Marissa dá a volta por cima, chega finalmente a maturidade adulta (depois de 300 anos!) e ganha um pouco do nosso respeito. Ao menos, ela sempre foi muito solidária, ela gosta de ajudar as pessoas.

Agora, indo pro assunto que os leitores da Irmandade sempre falam. O Butch devia ter ficado com o V, não? Ah, não sei. Só sei que eu os adoro juntos e é bem óbvio que o V tava afim, ele sentia algo muito profundo pelo tira, não era só amizade e nem só desejo. O que ele sente pelo amigo é uma mistura de amor, amizade, respeito, empatia... Já o Butch, nem tanto né. Ele ama o amigo, sente toda essa parada, mas é amigo e pronto. Será que se houvesse a oportunidade de eles terem algo, ele aceitaria? Mas eles são tão ligados, é uma amizade tão estreita, Butch se aproximou de V de uma forma que nem seus Irmãos conseguiram. Eles são tipo o par perfeito, como amigos. Como amantes, nunca saberemos. De qualquer jeito, com shellan ou sem shellan, eles se completam e depois desse livro você vai saber como essa ligação nunca vai ser desfeita, porque um depende da existência do outro.

Ps: Chorei quando o Butch volta em casa e... (não vou contar! Leia o livro!)

Minha opinião...

Realmente tenho que concordar com a Lucy. A Marissa é chataaaaaaa.
Pra mim entre todas as Shelans é a mais chata ever...
Quanto ao Buch, eu adoro ele. É o tipico policial americano, mas com grandes problemas emocionais mal resolvidos.
Mas, se você precisar de um ombro amigo, alguém pra te ouvir... Não existe amigo melhor. Ele é o amigo que todos gostaríamos de ter.
E eu torço muito por ele sempre. E a amizade dele com o Vishous é maravilhosa, pra mim, são irmãos de alma.
Eu sou suspeita em falar mas... Falo assim mesmo... kkkkk
Esta série é maravilhosa, sem igual.


Para saber um pouco mais sobre a autora visite J.R. Ward.


Abaixo uma foto de como imagino que seja o Buch.


Segue um vídeo feito por Chalas BDB, que vi no Youtube e amei...
Espero que gostem.


Então é isso... Não deixe de ler e conferir tudo sobre a série aqui e no blog oficial da Irmandade da Adaga Negra.

4 comentários:

  1. KKKKKKK

    Mais ou menos o que eu vou falar quando postar minha resenha do Amante Revelado no Peixinho Prateado!

    Chatissa? Eu também a chamo pelo apelido carinhoso de Malarissa.

    Beijos!!

    Gabs

    ResponderExcluir
  2. Sensacional essa resenha, agora quero mais do que nuca devorar esse livros... bom demais...

    ResponderExcluir
  3. http://www.docesletras.com.br/2011/11/amante-revelado-lover-revealed-universo.html

    ResponderExcluir
  4. A resenha desse livro é sensacional, quero mais do que nunca le-lo.... parabéns,,,

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!