[RESENHA] O Misterioso Conde de Rothesay - Roxane Norris - Qualis Editora


Bom dia seus lindos!


Hoje vou compartilhar com vocês as minhas impressões sobre um livro que traz uma história intrigante e envolvente demais!
Curiosos?


O MISTERIOSO CONDE DE ROTHESAY

Ficha Técnica:
Título: O Misterioso Conde de Rothesay
Autora: Roxane Norris
Trilogia: As Irmãs Reims
Ano: 2016 / Páginas: 161
Idioma: português
Editora: Qualis Editora
ISBN-13: 9788591659159
ISBN-10: 8591659155
Preço: R$ 29,14
Sinopse:
Um homem atormentado pelo passado, uma mulher com o poder de mudá-lo, e embora seja essa a premissa de um amor verdadeiro, pairam entre eles um título, segredos e mistérios que os envolvem numa rede de intrigas além do desejo em seus corações.Será o amor capaz de salvá-los?


Vocês já devem ter visto aqui no blog, várias postagens sobre este livro. Sim isso mesmo, várias rsrs
Eu sou parceira da autora e como tal, participei de alguns posts coletivos sobre o tão aguardado lançamento do livro. E também fiz uma linda entrevista com a Roxane, e caso queiram conferir só clicar neste link. Sendo assim, quem frequenta o blog já deve saber que o livro é um romance de época e traz uma história que com certeza irá encantar os apaixonados pelo gênero. Vamos a resenha...

O Misterioso Conde de Rothesay, é o primeiro livro da Trilogia As Irmãs Reims. Nele iremos acompanhar a história de Irina a mais velha das três irmãs. Irina já está com 25 anos e há muito já passou da idade de ser apresentada a sociedade, como era o costume daquela época. Um dos motivos e o mais importante é que ela não queria abandonar as irmãs mais novas, e por não terem mãe, Irina tinha medo de ser pedida em casamento e assim ter que deixar suas irmãs de vez.
Nossa heroína, tem um coração imenso, está sempre preocupada em ajudar os outros e o amor que tem por seu pai e irmãs é muito forte. Mesmo sabendo que a cada ano que passa isolada no campo, perde a chance de encontrar seu grande amor, ela não abandona seus ideais e como toda boa romântica e sonhadora, adora escrever. Sim, Irina escreve poesias, mesmo que nunca as tenha mostrado a ninguém. Em seus escritos ela expõe o que lhe vai na alma e no coração. É assim que nossa mocinha se desabafa e sonha.
"O cheiro de pão fresco tomava conta do ar da pequena casa em Carlisle, à beira da estrada, banhada pelas luzes parcas de uma manhã de primavera. Há muito Edward Reims já havia saído para o sermão maturino, e as meninas buscavam avidamente ajeitar a rotina da casa."
Mas, como o danado do destino está sempre propenso a mudar a vida das pessoas, eis que em uma bela manhã, Irina está em companhia de Lady Charlotte, amiga íntima da família e sua protetora. Lady Charlotte tem um enorme carinho por Irina, a considera como a filha que nunca teve, e mesmo não conseguindo levá-la para Londres e lhe proporcionar o debute que gostaria, sempre a ensinou como se comportar em sociedade e como se tornar uma grande dama. Sempre que Lady Charlotte está em sua casa de campo em Carlisle, passa bastante tempo com sua pupila. Irina estava lendo para Charlotte, quando são interrompidas pelo mordomo trazendo uma carta para a dama. Logo Irina percebe que a carta deixa sua amiga apreensiva e nervosa, e fica ansiosa por saber o teor da mesma para tentar ajudar a Lady. Assim que fica sabendo do que se trata, Irina resolve ajudar Charlotte, mesmo que isso a leve para longe dos seus em rumo ao desconhecido.
"Com um sorriso, Irina aquiesceu, desdobrando a folha. Não, sem antes, observar o selo rompido com curiosidade. jamais o vira em sua vida, tinha certeza. Fosse quem fosse não era alguém, ela supunha, das relações mais íntimas de Charlotte. Com certa avidez, a jovem devorou as linhas bem escritas. Em termos gerais, a carta não trazia nada de comprometedor entre seu interlocutor e seu leitor. Em breves palavras pedia-lhe ajuda quanto a sua filha, que se encontrava à beira de ser apresentada à sociedade." 
A carta era um pedido de ajuda do Conde de Rothesay, primo de Lady Charlotte. Thomas foi um notável libertino em sua juventude e após um acontecimento escandaloso que o afastou da sociedade e o fez ficar recluso em Bute, ele mudou radicalmente se transformando em um homem irascível, fechado e até mesmo sofrido. Thomas está precisando com urgência de uma preceptora para sua filha que está quase na idade de seu debute junto a sociedade. É aí que nossa Irina entrará na vida de Thomas e daí em diante nada será como antes. A vida deles mudará radicalmente e até que a vontade do destino se cumpra, eles irão passar por grandes percalços e transformações.
"A Jovem se ergueu e correu para a porta, saindo alegremente da sala. A premissa de uma aventura cheia de mistérios e entrelinhas a fascinava. Entretanto, a mulher que ficara ao sofá dizia a si mesma que estava fazendo o certo... Certamente estava. Era a única possibilidade."
A primeira vez que Thomas vê Irina, é um verdadeiro choque para ele, já que a cena parece uma volta ao passado, quando se viu apaixonado pela primeira vez. Irina está perdida no bosque de Bute, debaixo de uma chuva torrencial, desnorteada e ao mesmo tempo muito irritada com seu anfitrião, o Conde. Ao vê-la nesta situação Thomas a resgata e a leva para seu castelo, e não sai do seu lado até que o dia amanheça e ele tenha certeza que ela está bem. Ao acordar Irina leva um susto por se ver de camisola e deitada em uma cama e quarto estranhos. Ao levantar para admirar o quadro de uma linda dama, percebe não estar sozinha e se depara como aquele monumento de homem.
"Ora por que o Conde tinha que ser tão desprezível? Acaso testava-lhe a resistência? Espirrou forte, tendo o rosto coberto de água e os cabelos grudados a ele. Estava cansada e com frio, e nem uma luz surgia em seu caminho."
"Não lembrava que o cocheiro fosse tão forte, e certamente não havia mais ninguém por perto para surgir tão prontamente em seu auxílio. Queria lhe perguntar, pedir-lhe algo, mas estava sonolenta e não conseguia ver-lhe o rosto. Devia dizer-lhe que ia ver o Conde, mas tudo que sentiu foi o cheiro de chuva misturado a alecrim, e a escuridão a engoliu."
Os dois tinham a ideia de que eram mais velhos. Irina achava que o Conde estaria com idade avançada e Thomas achava que sua prima lhe mandaria uma senhora de certa idade para cuidar de sua filha. Afastada esta impressão, eles tiveram que aprender a conviver, já que os dois têm temperamentos fortes, os dois não querem dar o braço a torcer, são cheio de arestas a serem aparadas e somente o tempo vai fazendo com que suas qualidades apareçam. Que as barreiras imensas que Thomas criou ao redor de si, comecem a ruir. Aos poucos eles vão começar a perceber que sentem algo a mais um pelo outro e que precisam aprender a se soltar, deixar que os sentimentos aflorem.
"- O Senhor é o Conde de Rothesay? - balbuciou, surpresa. Ele não deveria ser mais velho? - Sua insistência em procurar o castelo sozinha, podia ter-lhe causado uma enfermidade séria, além de nos ter exposto sem necessidade - ralhou severamente, vendo-a baixar a cabeça. - Não devia ser mais velha? O olhar dela se ergueu rapidamente ao dele. - Eu digo o mesmo, milorde - respondeu altivamente. Ele se inquietou diante das palavras dela, apertando uma mão na outra as suas costas. - Charlote não me disse que era uma menina - arranhou levemente sua irritação."
Foi muito lindo ver o amor entre eles desabrochando, a confiança aumentando e ver que Irina foi amadurecendo e se tornando uma mulher ainda mais forte e segura. Thomas sofreu injustamente o repúdio da sociedade justamente quando se decidiu pelo certo, abandonando a vida desregrada. Um homem que foi muito apaixonado por uma mulher que na verdade era uma ilusão, e que ao finalmente abrir seu coração para Irina, o destino resolve ser cruel com ele novamente. Os dois terão que lutar contra fofocas, intrigas, mistérios e até mesmo contra si mesmos para conseguirem ficar juntos, mas com certeza toda esta luta e redenção de Thomas é justamente o que faz com que esse romance seja lindo!
"Irina se voltou para a porta e levou a mão à maçaneta, abrindo-a. Contudo, o movimento do Conde foi tão rápido, que, quando percebeu, estava entre os braços dele e ele a segurava firme. O rosto inclinando sobre o seu, roubando os centímetros que o separava de seus lábios enquanto murmurava: - Não creio que o tenha compreendido, de fato. Posso concordar que de início não conceba meus carinhos, pois toda essa situação nos é inusitada... Mas afirmo que não pretendo ficar sem minha esposa em minha cama. - Frisou sua posse e aproximou-se mais. - Encontro-me preso à promessa de não tocá-la somente, e nem um segundo a mais, até o momento em que me desejar. - Irina não respirava, os olhos castanhos escuros dele absorviam sua alma por completo, e não havia um mínimo reflexo em reprimi-lo. - Posso não amá-la, mas não fingirei que a quero. Por isso, milady, sugiro que me seduza...
A primeira vez que li esta história, ela ainda estava sendo escrita pela Roxane. Depois li novamente antes que fosse para a editora, e ao receber gentilmente a prova, fiz a sua leitura pela terceira vez, e a cada nova leitura, fui percebendo novas nuances na história, fui reavaliando algumas coisas e o que posso dizer é que a cada nova leitura, fico ainda mais fisgada por ela. Com certeza vou querer meu livro autografado e irei embarcar novamente para Bute quando o tiver em minhas mãos!


Se você gosta do gênero, tenho certeza que irá gostar desta história, que mistura romance, suspense, intriga, mistérios e muitos mais. Se você nunca se aventurou a ler um romance de época, eu gostaria de lhe convidar a conhecer Irina e Thomas.
Bjus



8 comentários:

  1. Oie,
    já tinha visto a capa por ai, mas confesso que ele não me chamou atenção, nem com a sua resenha.
    Quem sabe em outro momento

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Vanessa, vai perder uma ótima leitura.
      Bjus

      Excluir
  2. Oi xuxu meu!! Obrigada pelo carinho! Nós temos tantos momentos juntos, e esse foi mais um, lindo e doce! Amei a resenha, amei tudo!! Beijos, Roxy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Roxane! Fiz com muito carinho e com o maior medo de não saber expressar tudo que senti com a leitura.
      Beijokas flor.

      Excluir
  3. Parece ser uma delicia de ler.Adoro romances de época, a capa de muito bom gosto,da um gostinho de quero ler mais.Beijos e boa leitura!
    Raquel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel.
      A história é uma delícia, e o livro está super caprichado.
      Bjus

      Excluir
  4. Lia que resenha maravilhosa, minha amiga!

    Não vejo a hora de aventurar-se nessa história. Eu já sou curiosa de natureza e quando leio uma resenha que positiva desta maneira, ela aumenta mais ainda.

    Bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada amiga!
      Espero que tenha a oportunidade de ler e se apaixonar como eu.
      Bjus

      Excluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!