[RESENHA] Sob Águas Escuras - Robert Bryndza - Editora Gutenberg


Bom dia seus lindos!
A resenha de hoje é sobre um suspense muito intrigante.
Vem comigo...

Sinopse:
Quando a Detetive Erika Foster vasculha, com sua equipe, um lago artificial nos arredores de Londres em busca de uma valiosa pista de um caso de narcóticos, ela encontra muito mais do que eles estavam procurando.
Do fundo do lago são recuperados dois pacotes: um deles contém 4 milhões de libras em heroína. O outro… o esqueleto de uma criança.
Os restos mortais são de Jessica Collins, uma garota desaparecida há 26 anos e que foi a principal manchete de todos os noticiários da época.
Erika, então, precisa revirar o passado e desenterrar os traumas da família Collins para descobrir mais sobre o trabalho de Amanda Baker, a detetive original do caso – uma mulher torturada pelo seu fracasso na busca por Jessica.
Muitos mistérios envolvem esse crime, e alguém que não quer que o caso seja resolvido fará de tudo para impedir que Erika Foster descubra a verdade.
Ficha Técnica:
Páginas: 336 | Título original: Dark Water | ISBN: 9788582355022
Editora Gutenberg | Edição: 1 | Mês/Ano de publicação: 03/2018
LEIA UM TRECHO || SKOOB || COMPRAR


Quando vi a capa deste livro, senti que precisava conferir esta história. Não sei vocês, mas sou meio estranha em relação a algumas coisas. Assim que olhei esta capa, fiquei pensando na dificuldade de respirar que essa mulher estava, senti até mesmo um certo nervoso, e fiquei me sentindo como se estivesse me afogando. Vai entender... Coisa de maluco? Talvez. O fato é que as capas geralmente são o que primeiro me chamam atenção em um livro, são elas que me despertam o primeiro interesse. Se eu curtir a capa, com certeza vou ler a sinopse e se a sinopse me conquistar, já vai pra lista dos desejados. 

Este é o terceiro livro da Série Detetive Erika Foster e os dois primeiros livros já foram publicados aqui com os títulos: A Garota no Gelo e Uma Sombra na Escuridão. Mesmo não tendo lido os livros anteriores, a leitura fluiu muito bem e deu para entender e me prender a história tranquilamente, já que pelo que entendi, cada livro traz uma investigação diferente, onde o elo de ligação é a detetive. 


Erika Foster é uma mulher forte, determinada, e uma profissional muito bem qualificada e sagaz. Ela não é inglesa e este fato a fez crescer mais ainda em meu conceito, já que ser uma policial bem sucedida em terras estrangeiras não deve ser nada fácil. Ela se depara com um mistério que perdura há mais de 26 anos, ao encontrar por acaso um corpo de uma garotinha de 7 anos, que tinha sido dada como desaparecida. Há muitas incógnitas sobre o caso, muitas informações desencontradas, e ela sabe que será quase impossível conseguir solucionar um caso tão antigo assim, se nem mesmo a polícia da época conseguiu alguma pista que prestasse. 
“Puxado pelo peso das correntes, o corpo afundou rapidamente. Ela descansou ali, quieta e serena… durante muitos anos.”
O desaparecimento de Jessica Collins, deixou muitas sequelas, tanto na vida de sua família que sofre até os dias atuais sem saber o que realmente aconteceu com ela, como também de Amanda Baker, a detetive que cuidou do caso e até hoje se sente fracassada por não ter conseguido salvar a criança. Essa parte mexeu muito comigo, porque tenho filhos e nem posso imaginar como seria se um deles sumisse e depois de tantos e tantos anos seu corpo aparecesse e o mistério persistisse. Deve ser doloroso demais! 


A trama toda é muito bem montada. O autor trabalhou muito bem seu enredo e seus personagens são extremamente fortes, cativantes e fiquei completamente envolvida com eles e querendo ajudá-los a esclarecer todo o caso. Se surgir oportunidade, pretendo ler ou outros livros desta série, porque gostei muito da escrita de Robert e de como ele encaminha o mistério e mantém o suspense até o final. 
Erika deu mais uma garfada gigante, saiu se espremendo pelo espaço apertado e foi até o corredor equilibrando o prato para fechar a porta da sala. Os berros de Eva subiram uma oitava, portanto ela também fechou a porta do quarto. Então foi se sentar no tapete à porta do apartamento, pôs o prato no chão e terminou de comer, sem perceber que acima dela, presa no interior da caixinha do medidor de eletricidade, havia uma pequena escuta. (Pág. 201). 
Meu único adendo e foi o que não me fez dar nota 5 ao livro no Skoob, foi o fato do final apesar de ser bom, não ter conseguido me surpreender tanto assim. Pois já tinha mais ou menos conseguido adivinhar o que viria. Também fiquei achando que ele poderia ter trabalhado melhor a maneira de nos contar o mistério. Me deu a impressão que acabou sendo colocado de uma forma muito simples. Mas esta é a minha percepção, pode ser que ao ler você fique plenamente satisfeito.

Robert Bryndza tem uma escrita fácil, direta e bem objetiva. A narrativa em terceira pessoa nos facilita ter um melhor entendimento da história e nos dá a possibilidade de entendermos melhor as emoções de seus personagens. Ele consegue nos mostrar o estrago que uma mentira pode causar em nossas vidas. Em como algumas escolhas que fazemos podem influir na vida de todos aqueles que amamos, e nem sempre de uma forma positiva.

A sinopse já nos deixa com uma boa ideia da história e por isso não vou me estender muito. Mesmo porque posso acabar dando um spoiler e assim tirar todo o interesse de vocês em desvendar esse crime tão eletrizante, junto com a detetive Erika e seu parceiro Peterson. 
 Ela virou o rosto, encarou Peterson por um segundo e viu a rua lá embaixo. Piscou para tirar a água dos olhos e virou o rosto para cima de novo, tentando fazer as mãos e as pernas pararem de tremer. (Pág. 307).
Sob Águas Escuras traz uma história que nos leva em meio ao suspense, a refletir sobre assuntos que em minha opinião não costumamos pensar normalmente. Tem uma boa pegada policial, alguma adrenalina, muito mistério e conseguiu me deixar satisfeita com a leitura.


Até a próxima!

Lia Christo:
Carioca da gema, romântica incurável, leitora compulsiva, perseguidora de sonhos, e louca pela vida!

3 comentários:

  1. Oiii Lia

    Eu só li o primeiro dessa série e coincidência pois o final de lá tampoco me surpreendeu muito, achei legalzinho e já tá, mesmo assim a escrita do autor é boa, prende a gente e eu gosto da personalidade da Érika.
    Dos três livros esse das águas escuras tem a capa mais bonita, a premissa mais interessante tb ao meu ver. Quero ler o segundo em breve e quem sabe o terceiro ainda confira neste ano.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lia! Tudo bom?
    Eu gosto muito dessa ideia de uma série de thriller policial focando numa protagonista feminina. O geralzão sempre mantém personagem homem né, é uma quebra de padrão muito bem-vinda.
    Ainda não li nenhum título da série, mas vejo muitos elogios e tô me entusiasmando cada vez mais pra procurar.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lia

    Eu tenho o segundo livro, mas tenho aquele pequeno TOC de querer ler tudo na ordem, sabe? Hahahaha
    O que mais chama a minha atenção é o fato de termos uma detetive mulher e uma vítima criança, é o pacote certeiro para despertar meu interesse.
    Uma pena que você teve essa pequena ressalva em relação ao final, mas o importante é que você curtiu o todo!!!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!