[RESENHA] À Sombra da Figueira - Vaddey Ratner - Geração Editorial


Bom dia leitores!
Estava com muitas saudades desse meu cantinho.


Depois de um longo e tenebroso tempo sem internet em casa, estou de volta com mais uma deliciosa resenha para vocês! Uhulll
O livro de hoje é de uma grande sensibilidade humana. Vamos conferir?


À SOMBRA DA FIGUEIRA

Ficha Técnica:
Título original: In the shadow of the banyan
Autora: Vaddey Ratner
Tradução: Sandra Martha Dolinsky
Gênero: Literatura Estrangeira
Acabamento: Brochura
Formato: 15,6x23cm
Págs: 360
Peso: 470g
ISBN: 978-85-8130-253-9
Preço: R$ 49,90
E-book
ISBN: 978-85-8130-254-6
Preço: R$ 19,90
Sinopse:
Para a menina Raami, de sete anos de idade, o fim abrupto e trágico da infância começa com os passos de seu pai voltando para casa na madrugada, trazendo detalhes da guerra civil que invadiu as ruas de Phnom Pehn, a capital do Cambódia. Logo o mundo privilegiado da família real é misturado ao caos da revolução e ao êxodus forçado. Nos quatro anos seguintes, enquanto o Khmer Rouge tenta tirar da população qualquer traço de sua identidade individual, Raami se apega aos únicos vestígios de sua infância — lendas míticas e poemas contados a ela pelo seu pai. Em um clima de violência sistemática em que a lembrança é uma doença e a justificativa para execução sumária, Raami luta pela sua sobrevivência improvável. Apoiada no dom extraordinário da autora pela linguagem, À Sombra da Figueira é uma história brilhantemente intricada sobre a resiliência humana.
Finalista do Prêmio PEN Hemingway este livro vai levá-lo às profundezas do desespero e mostrar horrores abomináveis. Vai revelar uma cultura maravilhosamente rica, lutando para sobreviver através de pequenos gestos. Vai fazer com que jamais sejam esquecidas as atrocidades cometidas pelo regime Khmer Rouge. Vai lhe encher de esperança e confirmar o poder que há ao se contar uma história de nos elevar e nos ajudar não somente a sobreviver, mas à transcendência do sofrimento, da crueldade e da perda.Leia o primeiro capítulo.


"À Sombra da Figueira" foi o primeiro romance de Vaddey Ratner. Neste livro ela nos conta a história da luta de Raami de apenas 7 anos, para sobreviver sob o terrível regime do Khmer Vermelho. Durante seu reinado de terror 1975-1979, o regime comunista esvaziou cidades, fechou escolas e hospitais, e baniu famílias para campos de trabalhos forçados em uma tentativa de transformar o Camboja em uma utopia agrária. Reformas agrícolas equivocadas levaram à fome generalizada. Pessoas consideradas intelectuais - o que poderia significar simplesmente que eles usavam óculos - foram torturados ou assassinados sem rodeios. Estima-se que 1,7 milhões de cambojanos, ou seja, 25 por cento da população, morreram.

Raami é uma princesa, seu pai é um descendente do rei Sisowath. Educado no exterior, ele tornou-se desiludido com o governo cambojano corrupto e é inicialmente simpático ao que ele acredita serem os ideais do Khmer Rouge. O que logo se mostra equivocado e apavorante para ele e toda a sua família.

Arrancada de sua casa e de tudo que lhe era seguro e conhecido, depositada em uma aldeia estranha, Raami(que tem poliomielite), nos dá a sua visão do que a cerca, sempre de uma maneira bela e positiva. Observa "árvores de chama em plena floração" e arrozais com "pés na altura do joelho tão flexíveis como os cabelo de um bebê". Nos dá registros do nascer do sol como "véu rosado do céu, tomando emprestado o tom das flores de lótus que se desdobram abaixo. "Mais tarde, em um caminhão com destino ao desconhecido, ela observa com gratidão a criança que lhe oferece água de uma casca de coco e a bondade desajeitada de um soldado que conforta durante uma tempestade. Tudo isto é que faz com que possamos encontrar neste romance sombrio, beleza e até mesmo alegria.

Ao iniciar esta leitura, eu já estava preparada para encontrar muito drama, dor, e muitas perdas de personagens por quem eu fosse simpatizar, e sim isto aconteceu. Mas só até certo ponto. Vaddey nos faz viajar para o Camboja em sua pior época. Uma época de dor e destruição do povo cambojano, mas ao mesmo tempo ela nos faz adentrar este mundo pelos olhos sonhadores e sensíveis de Raami, e isto é que faz toda a diferença para que não tenhamos apenas uma outra história sobre genocídios.


Uma das mais belas passagens, é quando a babá de Raami diz a ela que histórias "são como caminhos dos deuses. Eles nos levam de volta e para trás no tempo e no espaço e nos conectam a todo o universo".

O que considerei notável e belo neste livro é que mesmo a autora tendo vivido tudo isto na pele, notamos em sua história a ausência de raiva e a capacidade - aparentemente infinita - por empatia.

Em minha opinião, À Sombra da Figueira é um livro que deveria ser lido por todos. Nos traz ensinamentos, valores e a resiliência de esperarmos a nossa hora de ser feliz.
Bjus


2 comentários:

  1. Olá :)
    Que trama interessante! Adorei a capa também, legal conhecer outras culturas através dos livros ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Lia só coisa boa surgindo por aqui...parabéns pela resenha, este livro está na prioridade de leitura,achei a capa linda... minha simpatia pelo livro é crescente!!Bjs e boa leitura!

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!