[RESENHA] O Perfume da Folha de Chá - Dinah Jefferies - Editora Paralela


Bom dia seus lindos!


Hoje vou deixar as minhas impressões sobre um livro, que nos leva a questionar o quanto a verdade pode mudar uma vida ou várias delas.


O PERFUME DA FOLHA DE CHÁ

Ficha Técnica:
Título: O Perfume na Folha de Chá
Autora: Dinah Jefferies
Editora: Paralela
Tradução: Alexandre Boide
Capa: L Motley
Páginas: 432 pp.
Lançamento: 03/01/2017
ISBN e código de barras: 9788584390465
Sinopse:
Em 1925, a jovem Gwendolyn Hooper parte de navio da Escócia para se encontrar com seu marido, Laurence, no exótico Ceilão, do outro lado do mundo. Recém-casados e apaixonados, eles são a definição do casal aristocrático perfeito: a bela dama britânica e o proprietário de uma das fazendas de chás mais prósperas do império. Mas ao chegar à mansão na paradisíaca propriedade Hooper, nada é como Gwendolyn imaginava: os funcionários parecem rancorosos e calados, e os vizinhos, traiçoeiros. Seu marido, apesar de afetuoso, demonstra guardar segredos sombrios do passado e recusa-se a conversar sobre certos assuntos. Ao descobrir que está grávida, a jovem sente-se feliz pela primeira vez desde que chegou ao Ceilão. Mas, no dia de dar à luz, algo inesperado se revela. Agora, é ela quem se vê obrigada a manter em sigilo algo terrível, sob o preço de ver sua família desfeita.


Desde que a editora Paralela anunciou o lançamento deste livro, fiquei mega interessada em ler, já que pela sinopse a história prometia ser cheia de mistérios e segredos e ainda por cima com uma bela capa! Quando recebi o e-mail convidando o blog para resenhar, aceitei de pronto! E vou deixar aqui um resumo da história e as minhas impressões.

O livro é narrado em primeira pessoa, pela perspectiva de Gwen, a nossa protagonista. O ritmo da história é lento, bastante descritivo e permeado por situações que aguçam a nossa curiosidade e senso de detetive, como foi no meu caso. Tem um clima tenso e denso na maior parte do tempo. Nunca sabemos bem o que esperar a seguir. A história se passa nos anos 1920 e é ambientada no Ceilão, uma das colônias inglesas, que vivia da extração do Chá.

Gwen é uma jovem inglesa, bonita, inteligente, mas sem malícia e muito sonhadora. Uma mulher que detesta mentiras, maldade e que sempre procura ajudar a quem precisa, mesmo que isto a coloque em situações difíceis no decorrer da história. Só teve uma coisa que me incomodou bastante em Gwen. Ela era muito crédula. Acreditava demais nas pessoas, antes mesmo de conhecê-las bem. Se deixava enredar com facilidade por conta de sua extrema ingenuidade. Eu sei que para uma jovem mulher da época e que teve que atravessar todo um oceano, e se acostumar com uma vida bem diferente da que conhecia, é muito difícil, mas tinha vontade de dar umas sacudidas nela de vez em quando.

Gwen, é a única filha de uma família de Gloucestershire na Inglaterra. Ela conhece e logo se apaixona pelo viúvo Laurence Hooper, descendente dos colonos ingleses originais do Ceilão. Eles se casam na Inglaterra e logo após o casamento Laurence, volta ao Ceilão, deixando Gwen preparando sua mudança para lá. Ao chegar ao Ceilão algum tempo depois do casamento e sem ver o marido, Gwen se sente insegura e com medo das mudanças que irá enfrentar em sua vida. Ao desembarcar do navio, já tem a sua primeira decepção ao não ser recepcionada por seu esposo, que demora demais a aparecer para buscá-la e isto a deixa ainda mais nervosa e sem saber o que esperar de sua nova vida.

Imagem de Nuwara Eliya, local mencionado no livro
Ao se instalar na fazenda de plantação de chá de seu marido, é rapidamente confrontada com reviravoltas: raciais, sociais e domésticas. Assim que começa a se ambientar por lá, ela resolve começar a fazer mudanças em seu lar e tenta tomar as rédeas de seu casamento, que não está sendo nada daquilo que imaginou. Gwen fica perplexa com a frieza intermitente de Laurence com ela. Ora é amoroso e atencioso e ora é frio e arredio. Incapaz de obter qualquer informação dos servos da família(por conta da dificuldade da língua), e nem mesmo de Naveena, que é a empregada mais antiga, inclusive tendo sido a aia de Laurence desde seu nascimento, Gwen suspeita que ele pode estar sucumbindo aos suaves fascínios financeiros e outros, da sofisticada americana Christina, uma banqueira de Wall Street.
Outro espinho é Verity, a irmã pegajosa de Laurence, que se recusa a casar, insistindo que Laurence lhe pague uma mesada e viva em sua função. Também temos o pintor cingalês Ravi Ravasinghe, um homem simpático, sedutor, mas envolto em mistério e maldade. Um homem de quem Laurence não gosta.

Todas essas descobertas, todos os mistérios, o comportamento arredio e confuso de seu marido, a dissimulação de sua cunhada e tantas outras coisas, fazem que Gwen seja enredada em várias situações complicadas, mistérios, dramas e esteja sempre na corda bamba em sua nova vida no Ceilão.

Gwen começa a fazer descobertas inquietantes na casa e nos terrenos da plantação de Laurence. Um vestido de casamento amarelando em um tronco mofado. Um túmulo minúsculo, coberto e abandonado; aparentemente de uma criança. Laurence se recusa a responder às suas perguntas e se afasta dela ainda mais. E então, surge um raio de sol no relacionamento: Gwen fica grávida. Laurence está muito feliz e tudo parece se encaminhar para uma nova etapa na vida deles.

Mas na noite em que Gwen entra em trabalho de parto, com Laurence longe de casa, ela é confrontada por um dilema terrível; Uma escolha que ela sente que deve fazer sem o conhecimento do marido. Será que ela vai conseguir manter um segredo tão poderoso? Se Laurence descobrir, possivelmente irá condenar o que ela fez? Este segredo poderá ser perdoado? Ou irá lhe atormentar pelo resto de sua vida?

Este segredo é o ponto alto da história e nos faz pensar ao término da leitura, até que ponto um segredo pode mudar ou mexer com nossas vidas. Até que ponto é válido manter um segredo, mesmo em face ao grande sofrimento que ele nos traz. Eu cheguei ao fim, sem conseguir me decidir o que eu teria feito no lugar de Gwen, qual a decisão eu teria tomado. O que acontece é algo bem difícil e muito sofrido para qualquer mãe.

Eu gostei muito de todo o aspecto histórico do livro, de conhecer mais sobre o que ocorria naquela época e e como as coisas eram bem difíceis na colônias de chá, principalmente durante a crise em 1929. Foi interessante ter uma ideia de como as jovens inglesas eram corajosas ao abandonar suas famílias, seu País e sair rumo ao desconhecido em uma terra tão diferente e distante da sua. Elas partiam sem ter ideia se algum dia voltariam, ou mesmo sem saber exatamente o que as esperavam.

Imagem do Ceilão retirada do Google.
Apesar de ter me sentido irritada com Gwen por boa parte do livro, pelos motivos que mencionei acima, no final ela acabou me surpreendendo e se mostrando mais madura e acabei gostando dela. Laurence, me suscitou muito sentimentos diferentes. Ora tinha vontade de esmurrar ele, e em outras de lhe dar colo. Um personagem conflitante e que acabou me conquistando. Verity, uma mulher insuportável, a qual detestei do início ao fim. Os personagens secundários como Ravi, Sr. MacGregor, Naveena, Fran(prima e melhor amiga de Gwen), Christina e outros foram importantes para o andamento da história e seus desdobramentos.

Tem muito mais da história para contar, mas como sei que spoiler não é algo legal, terei que parar por aqui, deixando vocês a refletir sobre o que leram e se teriam coragem de se aventurar para descobrir o tal segredo. É sou má... rsrsrsr

A autora tem uma narrativa suave, envolvente e consegue nos prender até o desfecho da história. Descreve muito bem os locais onde a história se passa, de maneira que senti como se estivesse vendo um filme, o que aliás seria ótimo. A história tem tudo para se transformar num longa pras telonas. Toda a trama é bem montada e não ficamos com nenhuma ponta solta. Tudo vai sendo revelado aos poucos, devagar e quase sempre de forma surpreendente. Só senti falta de um epílogo. Eu gostaria muito de ter uma ideia de como eles ficaram depois.

Uma leitura emocionante, inteligente e que me deixou a maior parte do tempo envolta em sentimentos conflitantes.
Bjus


3 comentários:

  1. Bom dia Lia,

    Esse livro está na minha lista de desejados, realmente a capa é linda e a sinopse deixa a gente curioso, muito bom saber que a obra é ótima, super curioso...ótima resenha...bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Li
    Também fiquei curiosa pelo livro quando o vi pela primeira vez, mas confesso que imaginava um outro tipo de história. Ainda sim este é bem interessante e me despertou interesse.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Lia!

    Amiga eu estou super curiosa por esse livro. Por isso corri aqui para conhecer sua opinião sobre ele e realmente vou ter que colocá-lo na minha lista de desejados por que fiquei ainda mais curiosa pela história.

    Bjão

    ResponderExcluir

Olá ao passar por aqui, deixe um comentário. É sempre uma delícia poder conhecer sua opinião.
Obrigado por visitar e comentar no Doces Letras!